Archive for Setembro 2014

Sukeban Deka I (1985) Episódio 03

By : Goggle Red
Há uma linha muito tênue que separa o autor de um crime de seu verdadeiro responsável. Nesses casos, em que as aparências enganam, a perícia e a experiência de um grande investigador jamais seriam suficientes. Frieza e sensibilidade também contam muito_ embora sejam dons impossíveis de se conquistar pelas vias do profissionalismo.
Com toda a ousadia que lhe cabe tão bem, Saki nos mostra neste episódio que suas habilidades táteis vão muito além do mero manuseio de seu ioiô. Sua intuição nos trás uma amostra do quão vivida e experimentada ela é, mesmo sendo uma garota tão jovem. Esta não será a única vez que Saki salvará o Takanoha_ o mesmo colégio que tanto a rejeita_, deixando mais compreensível para o espectador a razão que move Jin e o Gabinete a descerem tão baixo para continuar contando com os serviços da delinquente.



Agora, uma "pequena" nota de tradução da nossa amiga Luxiferia, que deu uma forcinha pro Time SDK neste episódio:


"No início do episódio o professor está fazendo a leitura de um texto que é praticamente impossível de entender. Isso é porque ele está lendo o início de Genji Monogatari, um texto escrito por volta do ano 1000 D.C. O motivo de esse texto estar sendo estudado não é simplesmente o fato de ele ter quase mil anos: Genji Monogatari é o primeiro romance da literatura MUNDIAL. Apesar de já haver registros escritos de histórias anteriormente, este é o primeiro sob a forma de romance, com personagens e tramas complexas, que não se refere a personagens míticos. A autoria é atribuída a Murasaki Shikibu, uma dama da corte, e era escrito especificamente para as mulheres da corte.

Curiosidade dois: o texto original (ou as cópias a que tivemos acesso, porque o original original perdeu-se nas brumas do tempo) é todo escrito em hiragana. Isso porque foi escrito POR uma mulher da era Heian PARA mulheres da corte. Naquela época, kanjis só eram utilizados por homens, que eram educados no uso da língua e escrita chinesas. Isso faz com que o texto seja ainda mais peculiar, porque o vocabulário usado é de origem majoritariamente japonesa, havendo pouquíssimo uso de palavras derivadas do chinês (que a gente conhece como On-yomi, a leitura On do kanji). Como se sabe que o japonês tem gazilhares de palavras homófonas, e tudo foi escrito em hiragana, até hoje tem passagens que são estudadas e questionadas porque é difícil saber o significado dessas palavras sem saber qual kanji/sentido delas...

Curiosidade 3: Só pelo fato de ser algo antiquíssimo já justifica a dificuldade de entender o texto, mas tem um fator extra: o texto foi escrito na linguagem da corte Heian, muito conhecida por ser rebuscadíssima e super complexa... que caiu em desuso e já era incompreensível 100 anos depois de o romance ser finalizado.
Por isso, é fácil ver por que o trecho é incompreensível pra falantes de japonês moderno... Mas é legal saber a história, e estudar um pouquinho dos clássicos. Saber o contexto ajuda bastante quem gosta de ver séries e filmes históricos do período Nara/Heian, além de impressionar numa conversa com japoneses quando se tem a oportunidade... rs"

Ressha Sentai ToQger: Episódio 29!

By : Clock Up
Agora a coisa ficou séria...

Aos poucos, ToQger vem se libertando da fórmula básica estipulada no início da série, algo muito bem vindo na nossa humilde opinião.
Dessa vez o foco será no General Schwarz, considerado por muitos como o melhor personagem da série. O Ressha Sentai vai enfrentar não apenas o Shadow da semana, como também uma escolha difícil: confiar ou não confiar no seu antigo inimigo?

Cheers!

Reviews do Tio Donald: Kakuranger

By : RodrigoPatoDonald
Kakuranger: Uma Viagem ao Mundo dos Mitos do Japão.





Ah... Kakuranger! Entrou facilmente para o meu top 3 de super sentais até o presente momento. Uma viagem para o mundo fantástico e rico do folclore e os mitos do Japão. Vimos em Kakuranger, uma oportunidade de conhecer esses mitos desse país  que tanto nos fascinam.

Kakuranger é uma história de ninjas. Mas, ao contrário do REAL significado de ser um ninja, que, na história original do Japão eram guerreiros espiões e mercenários, que agiam sorrateiramente, em Kakuranger, vimos os ninjas com outra visão. Digamos, uma visão mais "romântica" de ser um ninja. Nossos heróis possuem códigos de honra e conduta e um padrão a seguir. Ao contrário dos ninjas de verdade. A história se baseia em nossos heróis derrotarem cada um dos monstros do folclore japonês, chamados de youkais. A cada episódio de Kakuranger, ficamos conhecendo um youkai diferente e um pouco do seu passado. Tudo com uma boa dose de humor.

Kakuranger é dividido em três arcos, mas, com os mesmos vilões (no caso, os youkais). A primeira fase  veio com a apresentação básica de uns youkais da mitologia japonesa. Eles vinham aleatoriamente, sem ser a mando de alguém. A segunda fase veio com youkais comandados pelo Príncipe Junior. Com a morte de Junior, se encerra a primeira fase e o segundo arco. Agora, o terceiro arco veio com o Daimaou, o líder dos youkais, comandando os youkais nos embates contra os nossos heróis. 

Vimos em Kakuranger o primeiro super sentai, pelo que andei pesquisando, com uma temática 100% japonesa. Ou seja, enquanto nos sentais anteriores à Kakuranger tivemos uma temática mais universal, vimos em Kakuranger algo voltado mais exclusivamente ao público japonês. Afinal, vamos encontrar elementos típicos de lá, como o mundo dos ninjas, samurais, o teatro japonês, casas assombradas, animais fantásticos, como o Gato e o Texugo, além de algumas lendas tradicionais, como o casamento Kitsune, que SEMPRE ocorre quando acontece a chuva com o sol. Por causa dessas situações restritas ao público oriental, a dona Saban teve uma certa dificuldade em adaptar Kakuranger para a versão americana. Pelo que andei pesquisando, não passou de 12 episódios dessa temporada, visto a dificuldade (ou falta de vontade) do público americano em se adaptar a cultura japonesa. 

Mas Kakuranger NÃO é de se jogar fora, mesmo que o seu foco tenha sido o público nipônico. Muito pelo contrário. Justamente por termos uma oportunidade de se adentrar um pouco mais no folclore japonês, Kakuranger se torna um prato cheio, pra quem gosta de cultura de outros povos. E tudo isso é levado com um humor típico japonês. Aquele humor doce, puro e inocente, sem malícia alguma, lembrando o humor dos seriados mexicanos do Chispirito (coisa que eu adoro). Os heróis passam por situações que divertem o telespectador (como a polêmica cena do ataque a Saizou que o deixou SÓ de cuecas). Mas, na hora do combate, os heróis ficam sérios e passam por MUITAS dificuldades, inclusive, com torturas físicas e psicológicas. 

Uma coisa legal em Kakuranger é que o líder NÃO é o Red, mas sim, a única mulher da equipe e a mais jovem integrante. E ela, mesmo não sendo "o" Red da equipe, é a principal do sentai, onde haverá um momento em que todo o mistério da história da batalha dos youkais gira em torno de Tsuruhime e do passado dos seus antepassados. E, acredite, um dos momentos mais emocionantes nos sentais está nesse sentai. Vimos pai e filho numa atuação magistral e numa das cenas de lutas MAIS lindas que um sentai poderia fazer. Para quem não sabe, o ator japonês Sho Kosugi fez uma participação nesse sentai e é um nome MUITO respeitado no Japão. Ele é um equivalente ao nosso Tarcísio Meira ou Tony Ramos. Foi ele que colocou o filho dele, Kane Kosugi, no elenco. E valeu a pena. Pai e filho protagonizaram uma das cenas de combate que ficaram para a história dos sentais, fazendo com que você esqueça de cenas clássicas, como Booba vs Change Dragon e Kaura vs Red Flash facilmente. O detalhe nessa luta é que pai e filho lutam praticamente com as mãos nuas, onde se dá para notar a expressão no olhar e nas bocas dos dois. Você sente a tensão e a densidade num duelo perfeito, já que muitos duelos decisivos são feitos com os personagens mascarados e não dar para sentir a emoção dos personagens.

Uma coisa que achei legal em Kakuranger foi sua trilha sonora, tanto na parte das OSTs como das BGMs. São canções MARAVILHOSAS, uma melhor do que a outra. Não se sabe com qual você vai escutar.e gostar mais. Minha favorita é Kiai Hyappatsu Kakuranger, que possui um dos arranjos mais legais que já ouvi. E as BGMs também são MARAVILHOSAS. Você as escuta e se sente viajando para o Japão Feudal. Músicas com instrumentos tradicionais japoneses, como o shamisen, o koto, a shakuhachi e o taiko, misturado com baixo, guitarra, bateria, teclado, saxofone e etc fizeram a minha alegria. Tudo bem trabalhado e equilibrado, o que deixou a trilha sonora não como algo enjoativo e monótono, mas, algo perfeito.

Uma coisa que Kakuranger quebrou na franquia é que foi o primeiro sentai pós-Zyuranger a não ter um sexto integrante na equipe. O Ninjaman é um aliado, mas, ele NÃO é o sexto integrante. Aliás, um dos erros de Kakuranger está nesse personagem. Ele é um ninja-aprendiz que não possui identidade humana. Quando é chamado de "novato" ou "amador", ele se transforma num SAMURAI!! :o !! Pelo que eu me lembro de história do Japão, samurais e shinobis eram guerreiros que não se bicavam. Um ninja se transformar em samurai forçou um pouco o lado histórico da coisa. Aliás, os "robôs" de Kakuranger são LINDOS. São dois principais: Muteki Shogun e Dai Shogun. E o mais legal. Esses mechas são vivos. NÃO são robôs. São duas entidades com vida própria que, aliados a outra entidade chamada Tsubasamaru, possuem um poder de fogo incrível.

Todo o elenco ficou perfeito. Todos bem selecionados. Tivemos participações especiais, além de astros conhecidos como Rika Kishida (Kaori - Jetman), Takayuki Godai (Vul Eagle 2 - Sun Vulcan), Ryo Harushima (Remi - Fiveman), Kiyohito Nakagawa (Oh Yellow - Oh Ranger) e até mesmo o Shiro Izumi (Oozora - Changeman, numa participação numa esquete de 10 minutos de Kakuranger com os 5 sentais da década de 90 até o ano de 94, chamado de Super Sentai World ). Além da participação magistral de Sho Kosugi, claro! 

Kakuranger é um sentai que ficou para a história. Além de ser um dos mais longos (são 53 episódios), ele consegue misturar drama e humor com uma sensibilidade incrível. Com certeza Kakuranger vai ser um prato cheio pra vocês, que gostam da temática japonesa. Não estranhem o fato de eles se mostrarem os ninjas bem diferentes do que eles na verdade o são. Kakuranger é uma série que vale MUITO a pena ter em sua coleção. NAN NAN NINJA NINJA! NIN NIN NINJA NINJA! KAKURANGER NINJA NINJA! SCHWA!!

Todos os Tokusatsus Exibidos no Brasil (Parte 1)

By : Kleber


Muitos tokufãs se iniciaram nesse costume graças à saudosa TV Manchete. Enquanto alguns desses tokufãs aproveitaram a oportunidade para expandir seu conhecimento na área, outros ainda preferem se restringir ao que passou na supracitada emissora e a repudiar o que veio antes e depois. Embora alguns pensem que tudo se originou na Manchete (tanto a invasão dos tokusatsus quanto a invasão dos animes), muitos anos antes de nós nascermos tanto os tokusatsus quanto os animes já brilhavam na telinha dos televisores brasileiros. Obviamente que falarei apenas dos tokusatsus, mas não é demais deixar claro que o que muitos de nós passamos foi o “segundo boom” das produções japonesas. Aqui eu pretendo tratar justamente do antes, mas também do durante e um pouquinho do depois da Manchete, para quem não conhece saber um pouquinho mais e quem já conhece relembrar. Estes são todos os tokusatsus exibidos no Brasil!

Obs.1: Todos os tokusatsus estão listados por ano de produção, ao invés do ano de exibição no Brasil.
Obs.2: Por opção pessoal, não estão listadas as exibições “regionais”, sendo citadas apenas as emissoras mais notórias.


National Kid - 1960 - 36 episódios (Globo e Manchete)
O professor Masao Hata é na verdade o herói National Kid. O herói, vindo da galáxia de Andrômeda, tinha como missão defender o mundo (Japão) contra terríveis vilões como os Incas Venusianos, os Subterrâneos e os Seres Abissais. National Kid era garoto propaganda da empresa National Matsushita (atualmente conhecida como Panasonic), cujos produtos eram mostrados seguidamente durante os episódios. Não fez muito sucesso no Japão, tendo efeitos e atuações precárias (até mesmo para a época), mas ganhou um status de cult no Brasil. Foi o primeiro tokusatsu exibido no Brasil, porém, ao contrário do que alguns pensam, não foi o primeiro tokusatsu produzido pela TOEI Company, mas foi o bastante para dar o primeiro passo da invasão japonesa à TV brasileira.


Agentes Fantasmas (Ninja Butai Gekko) - 1964 - 130 episódios (Globo)
Essa série japonesa narra as aventuras de um esquadrão de heróis que serviram como base para a criação dos Super Sentais. O seriado foi apresentado originalmente no Japão através da TV Fuji, em preto e branco (da mesma forma que National Kid), entre 3 de janeiro de 1964 a 31 de março de 1966. A história do seriado era dividida em dois episódios de aproximadamente 30 minutos e apresentado uma vez por semana, resultando num total de 130 episódios, mais um filme “spin-off”, exibido nos cinemas pela Toei em 1964, que contou com a direção de Keinosuke Tsuchiya, roteiro de Sussumu Takaku e o mesmo elenco da série de televisão. O seriado era centrado num esquadrão de elite que tinha como objetivo principal proteger a paz mundial através da ONU. Todos os membros da equipe eram mestres nas artes marciais, em especial na arte ninja e seus diversos truques, tais como ficar invisíveis, atravessar paredes e coisas do gênero.
Eles utilizavam o seu talento para lutar contra sociedades secretas que tentavam de todo o modo, dominar o mundo, frequentemente um grupo terrível de malfeitores denominados como “Black Frag” e também outro grupo conhecido por “Black Panthers”. Todos os agentes vestiam uma jaqueta de couro preto e capacetes muito semelhantes a dos motociclistas e raramente utilizavam suas armas. Jo Mizuki era o líder da equipe, que contava ainda com Meigetsu, Ryugetsu, Getsurin e o garoto Hangetsu.


Ultra Q - 1965 - 28 episódios (Bandeirantes)
(Como a abertura da série era diferente a cada episódio, optei por deixar o link com a introdução básica e a música tema)
A primeira série realizada pela Tsuburaya mostrava humanos enfrentando monstros do espaço e estranhas criaturas. O detalhe é que não havia nenhum herói cheio de poderes para ajudar. A série era chamada de "o ‘Além da Imaginação’ japonês” (em uma comparação um pouquinho mais atual, um “Arquivo X” japonês) e serviu de base para a criação de Ultraman, inclusive, muitos dos monstros que aparecem em Ultra Q foram reaproveitados nas aventuras do primeiro super herói vindo da Nebulosa M-78 para defender a Terra.
Ultra Q pode ser descrito como um curta de meia hora da Toho. Embora a intenção do criador Eiji Tsuburaya fosse fazer algo com menos foco em monstros, o canal TBS (Tokyo Broadcast Systems) convenceu Eiji a adicionar mais monstros ao show, já que Godzilla e Gamera eram muito populares na época. Assim como no supracitado Arquivo X, a série mostrava personagens recorrentes que investigavam estranhos fenômenos sobrenaturais, como monstros gigantes, alienígenas, fantasmas e várias outras ameaças. Na época, Ultra Q foi considerado a série de TV japonesa com produção mais cara.


Ultraman - 1966 - 39 episódios (Bandeirantes, Tupi, Record, SBT, Manchete e CNT)
Ao perseguir o monstro Bemlar, um alienígena de nome Ultraman, vindo da Nebulosa M-78, chega à Terra. Acidentalmente, a nave extraterrestre se choca com uma nave da Patrulha Científica, onde se encontrava o oficial Hayata.
Após a colisão, Hayata, em estado crítico, é salvo pelo alienígena que transfere sua energia vital ao humano, salvando sua vida. Também lhe entrega um artefato chamado "Cápsula Beta", que confere a Hayata a possibilidade de se transformar em Ultraman.
Dessa forma, Ultraman, que havia sido nomeado para proteger a Terra, cumpre sua missão através do humano Hayata, que, toda vez em que um monstro aparece, se transforma no gigante alienígena. Entre os principais monstros inimigos de Ultraman estão os Baltans, que por diversas vezes enfrentam o herói.
O final da série é marcado pelo aparecimento do monstro Zeton (Z-Ton), que acaba por derrotar Ultraman, mas é exterminado pela própria Patrulha Científica.
Ultraman é resgatado e levado de volta para seu mundo natal. Esse resgate é feito por Zoffy, um dos irmãos Ultra.


Vingadores do Espaço (Magma Taishi ou Embaixador Magma) - 1966 - 52 episódios (Tupi e Record)
Baseado no mangá de Osamu Tezuka, Vingadores do Espaço foi a primeira série exibida em cores no Japão. A produção contava as aventuras do gigante dourado Goldar (Magma) e suas lutas contra o alien Rodak (Goa) que queria dominar a Terra. Sempre que uma nova ameaça surgia, o garoto Miko usava o apito dado pelo herói para chamá-lo, usando três silvos (com dois silvos, Silvar, a esposa de Goldar, era chamada e com um silvo, Gam, o filho do herói, era chamado). O detalhe é que toda a família podia se transformar em foguetes, mas só Goldar podia ficar gigante.
Apesar de usa aparência robótica, Goldar não era um robô, mas sim um ser feito de ouro. Acontece que, em sua versão inicial, o ator que vestia a roupa de Goldar tinha o rosto à mostra, porém, a tinta usada na maquiagem causou uma reação alérgica no ator, portanto se decidiu que o personagem utilizasse uma máscara semelhante á um rosto humano.


Ultra Seven - 1967 - 49 episódios (Tupi e Record)
Após a partida do primeiro Ultraman, a Terra ficou à mercê dos monstros que, após algum tempo, voltariam a atacá-la. Sabendo disso, M-78 envia outro guerreiro à Terra...ULTRA SEVEN! Ao chegar à Terra, sem forma humana definida, se depara com dois alpinistas em apuros, eles estavam presos numa montanha e o segundo alpinista que estava em baixo, resolve cortar a corda para poder deixar seu amigo livre e cai num imenso abismo, eis que surge Seven e salva o alpinista, cujo ato inspira ele a assumir suas feições, após, surge um ataque dos aliens Coolianos em uma nave invisível, que começa a sequestrar pessoas importantes da Terra para estudá-las. Para combatê-los, a Força de Defesa Terrestre forma o Esquadrão Ultra. Quando eles estão indo para investigar, surge em seu caminho um homem que quer impedi-los de prosseguirem, dizendo que aquela área é perigosa, eles caçoam desse homem que se intitula um vagabundo qualquer, eles perguntam seu nome e ele diz: "meu nome? Bem... podem me chamar de Dan Moroboshi". Assim começa a saga desse grande herói que contava com a ajuda dos monstros Windam, Miclas e Agira que ficavam em cápsulas em seu bolso (esses monstros que viviam dentro de cápsulas foram a inspiração para a criação do anime Pokémon). A série ficou famosa no Brasil por te sido exibida no programa Clube do Capitão Aza. Este e outros seriados e animes que eram exibidos na Tupi pertenciam ao acervo da distribuidora Teleshow e esta por volta de 1978 entrou com ação judicial cobrando os valores referentes às exibições de suas atrações que, em sua maioria, estavam alugados à Rede Tupi e suas afiliadas. Quando a Tupi faliu em Julho de 80, muitas séries e desenhos como Ultraseven foram parar na Record e TVS (atual SBT) redes que se formaram com as antigas afiliadas da Rede Tupi e que não tiveram o seu sinal de transmissão cassado pelo decreto governamental que extinguiu essa rede de televisão.


Príncipe Dinossauro (Kaiju Ooji) - 1967 - 26 episódios (Globo)
A série foi produzida em 1967 pela P-Productions, que também produziu outras séries famosas como "Vingadores do Espaço" e "Spectreman". Nos Estados Unidos esta série é conhecida com o nome de "Monster Prince" e no Brasil foi exibido com o nome de "O Príncipe e o Dinossauro", dentro da sessão "Zaz-Traz" da Rede Globo, na década de 70, distribuída pela Aluísio Leite Garcia, com dublagem da Cine Castro/RJ-SP, e também foi reprisado pela TVS, dentro do Programa do Bozo na década de 80. A série foi criada sob a supervisão do produtor Tomio Sagisu, que também criou outras séries famosas como Lion Man e Spectreman, usando o pseudônimo de Souji Ushio.
O Professor Seiichi Ibuki, sua esposa Asako e seus dois filhos gêmeos, ainda muito pequenos, chamados Takeru e Mitsuru, estão a passeio para desfrutar das maravilhas de um sobrevôo sobre as diversas ilhas do oceano Pacífico. Num determinado momento do passeio quando o avião fazia um vôo mais baixo, sob as remotas ilhas vulcânicas de Barkon, coincidentemente um vulcão entra em erupção sobre as águas do oceano, surgindo estranhamente um monolito contendo um grande brilho, que passa a atrair o avião fazendo-o cair no oceano. Desesperados, o professor e sua esposa conseguem inflar um bote salva-vidas do avião e tentam salvar seus filhos, mas infelizmente eles conseguem salvar apenas um deles. O avião explode momentos depois, não deixando mais vestígios de nenhum outro sobrevivente. Assim, o casal retorna para sua casa, tristes pela perda do outro filho. O que o casal não sabe, entretanto, é que o outro garoto conseguiu sobreviver graças aos dinossauros da ilha, que o adotaram, e assim foi crescendo junto a eles. Com o passar do tempo, Takeru se torna um amigo especial de um dinossauro que ele chama carinhosamente de Nessie e anda pelas florestas com um objeto semelhante a um bumerangue, que ele usa para se defender em sua luta diária pela sobrevivência.


Robô Gigante (Giant Robo) - 1967 - 26 episódios (Tupi e Record)
O temível Imperador Guilhotina pretendia dominar a Terra. Para sorte dos humanos, durante um dos ataques do vilão, o garoto Daisako e o jovem Jyruoh Minami acabam chegando a uma ilha onde conseguem tomar de Guilhotina a sua mais poderosa arma: o Robô Gigante, um imenso robô com feições de faraó.
Unindo-se ao esquadrão de defesa da Terra "Unicórnio”, o garoto - agora com o codinome U-7 - luta com o Robô Gigante contra as forças do Imperador Guilhotina.


Ésper (Kousoku Esper) - 1967 - 26 episódios (Tupi e Gazeta)
A série Esper teve sua origem por volta de 1964, quando um conhecido desenhista japonês, Osamu Asano, é contratado para criar um personagem para ser utilizada como mascote nas campanhas publicitárias da companhia de eletrodomésticos Toshiba. Dessa forma, nasce o personagem Ésper, que acompanharia os folhetos e manuais da empresa. 

Em 1966, o personagem se tornou tão popular que foi transformado em mangá, produzido por Reiji Matsumoto (o mesmo criador de Patrulha Estelar), que o transformou em dois volumes encadernados. Um ano depois, o personagem virou uma série de televisão com o nome de Kousoku Esper, produzido pela Senkousha Productions, com o patrocínio da Toshiba, evidentemente, e apresentado originalmente pela televisão japonesa TV Nihon, a partir de 1º de agosto de 1967, num total de 26 episódios.
A história da série Ésper começa com uma colisão entre um balão, no qual passeavam o garoto Hikaru e seus pais, e uma nave espacial alienígena invisível, causando a morte dos pais do garoto. Os tripulantes da nave alienígena, compadecidos com a tragédia, resolvem tomar as identidades dos pais do garoto e cuidar dele. Hikaru é equipado com um super traje espacial que lhe permite voar e possui armas especiais.


O Regresso de Ultraman - 1971 - 51 episódios (Tupi, Record e SBT)
http://www.youtube.com/watch?v=OEsTLRAFVAI
Antes de qualquer coisa, é necessário dizer que esta serie não trata do retorno do Ultraman original como anuncia o nome, mas sim, o retorno da marca Ultraman. Criado por Hajime Tsuburaya, filho de Eiji, o seriado teve altas doses de ação e é considerado um dos mais eletrizantes seriados da Família Ultra. A série teve a participação especial do ator Akiji Kobayashi, o capitão Muramatsu da Patrulha Científica (ou S.I.A.) nos episódios 13 e 14. Ultraman Jack teria a presença dos seus irmãos: Ultraseven nos episódios 18 e 38, e do primeiro Ultraman nos episódios 38 e 51 (em sonho, alertando o seu irmão Ultra). Posteriormente, o herói da série (que até então era chamado apenas de Ultraman) foi rebatizado como Ultraman Jack, para evitar confusões com o primeiro Ultraman.
As habilidades dele são semelhantes às do Ultraman original, porém, após o primeiro terço da serie, ele começa a utilizar o Ultra-Bracelete, que tem um corte tão afiado quanto o Eye Slugger de Seven. Seu hospedeiro é Hideki Goh, um piloto de velocidade e mecânico, que pode se transformar em Ultraman Jack apenas com a força do pensamento.


Spectreman (Spectroman) - 1971 - 63 episódios (Record e SBT)
Abertura em inglês:
Enviado para a Terra pelos Dominantes do Espaço, o ciborgue Spectreman (também chamado de Spectroman) tinha como missão proteger o planeta Terra da aemaça do simióide mutante Dr.Gori, que queria transformar o nosso planeta em seu paraíso particular, usando monstros feitos com a poluição da Terra. Para que não tivesse sua identidade revelada, Spectreman se transformava em Kenji, mas bastava os Dominantes ordenarem: "Spectreman! Transforma-te e combata o monstro!" para que o herói rapidamente entrasse em ação.


Originalmente, Spectreman se chamaria Elementman, e usaria cores diferentes em seu uniforme (preto, vermelho e prata, ao invés de dourado e marrom), além de seu alter ego ser interpretado por Jiro Dan, que decidiu abandonar o projeto para interpretar Hideki Goh em “O Regresso de Ultraman”. O inimigo de Elementman seria alguém semelhante à Karas. Isso foi gravado em um episódio piloto de 8 minutos, mas que nunca foi ao ar. Após isso, a série mudou de nome mais três vezes ainda durante sua exibição, na primeira vez se chamava Uchuu Enjin Gori (em uma tradução livre, Macaco Espacial Gori), após se chamou Uchuu Enjin Gori tai Spectreman (Macaco Espacial Gori versus Spectreman) e, finalmente, Spectreman.


Lionman (Branco) (Kaiketsu Lion Maru) - 1972 - 54 episódios (Manchete)
http://www.youtube.com/watch?v=3ZMfuK-gUx0
Três irmãos ninjas lutam contra os servos do Diabo Gozun (bizarramente chamado de Satan Goss pela dublagem brasileira) no Japão medieval. O mais velho, Shishimaru, transforma-se no poderoso Lionman ao desembainhar a espada Kinsachi e pronunciar a frase “Oh, vento! Oh, luz! Formação Lionman!” (no original: “Kaze-o! Hikari-o! Ninpuu Shishi Henge!”). Ele é auxiliado pela bela Saori, uma exímia kunoichi (ninja mulher) e Kosuke, um garoto especialista em explosivos e que possui uma flauta, dada pelo ancião Kashinkoji, para chamar o pégaso Hikarimaru.
A série foi transmitida na Itália, no final dos anos 70 com o nome de Ultralion, e no Brasil sob o título Lionman. Infelizmente, pouco mais de 10 episódios dessa série foram exibidos por aqui e sequer foram exibidos em ordem.


Poderoso Lionman (Fuun Lion Maru) - 1973 - 25 episódios (Manchete)
https://www.youtube.com/watch?v=_QzUfOWtbEo
Dan Shimaru combate o clã Mantor do Diabo e seus ninjas rastejantes comandados por Agdar, que espalham terror pelas aldeias do Japão medieval. O principal objetivo de Shimaru é vingar a morte de seu irmão, que foi morto pelas mãos do monstro Nezuma. Para isso, ele utiliza a mochila foguete que lhe foi dada por seu irmão para se transformar em Lionman, uma dádiva dos ninjas.
Durante sua viagem ele conhece algumas pessoas bem interessantes:
Os irmãos Shinobu e Sankichi, que procuram por seu pai desaparecido;
Youba (o invencível felino Jaguar), que tem uma rivalidade inicial com Shimaru, porém acaba lutando ao seu lado contra o clã Mantor. Infelizmente, Youba acaba encontrando a morte ao lutar contra o terrível demônio Roman;
Nijino Nanairo, um ninja extrovertido e fanfarrão, que acaba tendo um fim nada agradável ao ser usado como bala de canhão humana;
Joe Tiger, um legítimo lobo solitário que surge para devolver a confiança à Shimaru, quando este se sente culpado pela morte de Youba.

Isto conclui a parte dos tokusatsus produzidos nos anos 1960/70, espero que tenham gostado e em breve virá a parte dois, cujos tokufãs devem se identificar um pouco mais. 

Sukeban Deka I (1985) Episódio 02

By : Goggle Red
Neste episódio vocês irão conhecer dois personagens muito importantes que seguirão até o fim da trama. O primeiro deles é Nowaki Sanpei, um garoto alegre, extrovertido e que sempre tira notas ruins no Colégio Takanoha, o novo_ e definitivo_ cenário das ações. Tal como no mangá e no anime, Sanpei será o ponto cômico da série, constantemente paquerando a Saki e_ para nossa sorte_ também levando muitos foras dela. Só muito mais à frente seu papel assumirá certos tons de dramaticidade, ainda que sem perder sua essência. Neste seriado, Sanpei é interpretado por Yasuyuki Masuda.
Já a linda Miyako Yumenokoji será a grande rival de Saki dentro do Takanoha. Como Rainha do Colégio, ela não admite nada menos do que ter todos aos seus pés. Ainda que sob um prisma coadjuvante, a relação de Miyako com Saki passará por uma transformação lenta e gradual ao longo da história, e influenciará na personalidade de ambas. A artista que interpreta Miyako é Chiaki Watanabe. Também cantora, assim como nossa Yuki Saito (Saki), Chiaki teve uma projeção bem modesta no mercado fonográfico japonês dos anos 80. Hoje em dia, ela é lembrada apenas por aquele que foi, virtualmente, seu único sucesso: a canção "Natsu ni Fresh", de 1984.


Ressha Sentai ToQger: Episódio 28!

By : Clock Up
Tenho a impressão de que ela se divertiria muito mais em Jetman...

Parece que a tensão voltou com tudo nos bastidores da Shadow Line. Podemos considerar esse episódio como um pequeno (e divertido) filler, mas me parece que a coisa volta a esquentar no próximo.

Cheers!

Tokusou Robo Janperson: Episódio 3

By : Clock Up
Crianças sendo eletrocutadas é sempre um bom sinal...

Enquanto segue o mistério: Qual a verdadeira identidade do novo justiceiro blindado que apareceu na cidade?
Uma nova organização criminosa tenta apagar a estrela da justiça. Desta vez, cinco caçadores de recompensa com habilidades exímias são contratados para dar cabo do Robô Investigador.
Até a próxima!

Cheers!

Sukeban Deka I (1985) Episódio 01

By : Goggle Red
Vai começar a jornada da garota Saki Asamiya no Rampage Subs. Quem é essa heroína? Por quê ela luta? Quais são seus motivos e ambições? Este episódio inicial de Sukeban Deka I trata de esclarecer essas questões, ao mesmo tempo que nos envolve com a típica atmosfera agradável de uma produção japonesa feita nos anos 80.



De passagem por um colégio feminino, Saki mostra nesta aventura um pouco das habilidades que fizeram dela uma delinquente tão temida nas instituições de ensino do Japão. Ainda assim, uma misteriosa organização parece ter em mãos as rédeas necessárias para domá-la.
Não deixe de conferir mais esta grande novidade aqui em nosso fansub.


Download Sukeban Deka I (1985) - A série legendada

By : Goggle Red
Saki Asamiya é uma delinquente juvenil cuja fama alcança diversos colégios do Japão. Diante de uma tragédia do passado, que culmina numa sentença de morte para sua mãe, ela passa a ser manipulada por uma misteriosa organização conhecida como "O Gabinete", que a designa para atuar como uma espiã acima de qualquer suspeita. Sob esse cenário, Kuraiyami Shirei_ líder máximo do Gabinete_ destaca seu agente Jin Koichiro para assistir Saki em suas missões, cada vez mais frequentes.
Munida de um ioio, no início Saki luta apenas para adiar a execução de sua mãe, pela condição proposta pelo Gabinete. Mais tarde, porém, a própria garota passa a enxergar suas batalhas como uma válvula de escape, capaz de exercitar e fortalecer sua própria condição humana. "O caminho pelo qual eu sigo é uma trilha cheia de ruínas", diz ela. Caminho esse que inclui prender criminosos e chantagistas, desmascarar cúmplices, derrubar gangues opressoras, etc.
Tal experiência passa a ser o grande diferencial de Saki assim que a trama entra em sua segunda fase, onde a garota passa a combater o tráfico de influência das irmãs Mizuchi. Amparadas pelo pai Gouzo (um mega empresário corrupto), Reimi, Ayumi e Kumi nutrem um ódio crescente por Saki. A heroína, por sua vez, descobre então possuir uma misteriosa ligação com a família das rivais, a ser revelada apenas nos últimos episódios.

Depois da realização que tive com o lançamento do filme por aqui, a série Sukeban Deka I, de 1985, busca repetir minha bem-sucedida parceria com o Rampage Subs e, ao mesmo tempo, integrar novos fãs no universo deste dorama. Esta temporada é até hoje a mais cultuada pela maioria dos admiradores da obra, pois carrega forte semelhança com o mangá original do autor Shinji Wada e, posteriormente, com o anime (OVA).
Neste seriado, o papel da protagonista Saki Asamiya foi dado à cantora Yuki Saito. Sua canção "Shiroi Honoo" foi usada como tema de encerramento dos episódios e, desde então, tornou-se um dos maiores sucessos do repertório de J-Pop romântico dos anos 80. A trama ainda abre espaço para a participação de vários outros artistas consagrados, sendo que muitos deles são rostos bastante conhecidos das séries de tokusatsu_ como ainda veremos em meus comentários futuros por aqui.
Além da ação, outra grande coincidência de Sukeban Deka com os tokus é a reserva de um "momento máximo" para a maioria das aventuras. O instante mágico em que Saki exibe para seus adversários o ioio com o símbolo do Sakura no Daimon é tão intenso quanto o roll call para um Super Sentai, o henshin para um Kamen Rider, a aterrissagem para um Ultraman... como me disse certa vez o amigo Clock Up, "Sukeban Deka é o 'mais toku' dos doramas", isso quando o mesmo não vem a ser classificado assim diretamente por alguns tokufãs.
Pessoalmente, quero dizer que me sinto amparado por uma equipe fantástica, que já me provou sua fidelidade, sua competência, e que agora me deixa à vontade para me fazer apostar neste novo desafio. Nem que para isso eu precise, às vezes, deixar um pouco de lado os projetos da própria mídia que administro_ o blog Henshin World e seus derivados. Sei de antemão que o que é bom para o Rampage Subs é bom para o Henshin World. O respeito e o reconhecimento que já existe entre ambos os sites só me faz querer contribuir mais e mais. Ainda me sinto um aprendiz no campo da legendagem, por isso terei muita satisfação em fazer, além da tradução dos episódios, comentários a respeito dos mesmos no espaço precioso que me foi concedido por aqui. Por todos esses motivos, esperamos que vocês gostem e estejam conosco ao longo deste projeto.

Título: Sukeban Deka
Ano: 1985
Produtora: Toei Company
Número de Episódios: 24
Formatos : MKV (softsub) & MP4 (hardsub)
Tradução: Goggle Red
Comentários, apresentação e edição final: Goggle Red
Encode e Typesetting: Clock Up
QC: Cap. Nascimento e Nazca; Pato (ep 01 a 04)
Tradução (músicas): Luxiferia

Agradecimentos especias ao Skewed Studios.


EPISÓDIOS:
Episódio 1: Saki, A Misteriosa Aluna Transferida  mkv | mp4
Episódio 2: O Retorno da Delinquente Saki  mkv mp4
Episódio 3: Encontrem o Detonador de Bombas  mkv mp4
Episódio 4: O Brilho das Chamas Infernais  mkv mp4
Episódio 5: Missa Negra às 2 da Manhã  Torrent mkv | DDL mkv | DDL mp4
Episódio 6: Aponte Para o Ídolo!  Torrent mkv | DDL mkv DDL mp4
Episódio 7: Arco de Amor e Ódio  Torrent mkv | DDL mkv DDL mp4
Episódio 8: O Assassinato da Jovem Modelo  Torrent mkv DDL mkv DDL mp4
Episódio 9: Cortem as Raízes do Bullying  Torrent mkv DDL mkv DDL mp4
Episódio 10: O Alvo é a Atacante  Torrent mkv | DDL mkv DDL mp4
Episódio 11: A Chegada das Três Irmãs Malignas  Torrent mkv | DDL mkv DDL mp4
Episódio 12: Saki, Você Está Morta!  Torrent mkv | DDL mkv DDL mp4
Episódio 13: Toquem a Melodia Assassina!  Torrent mkv | DDL mkv DDL mp4
Episódio 14: O Teclado Sangrento  Torrent mkv | DDL mkv DDL mp4
Episódio 15: Uma Armadilha Para Saki  Torrent mkv DDL mkv DDL mp4
Episódio 16: Fuga Desesperada! O Castelo Infernal do Terror  Torrent mkv DDL mkv DDL mp4
Episódio 17: Caos na Academia Takanoha  Torrent mkv DDL mkv DDL mp4
Episódio 18: A Chegada do Novo Detetive Especial Torrent mkv | DDL mkv DDL mp4
Episódio 19: O Segredo das Origens de Saki Torrent mkv DDL mkv DDL mp4

EPISÓDIOS FINAIS

Episódio 20: Uma Maldição de Pai e Filha
Episódio 21: Você Matou Meu Pai!
Episódio 22: A Queda da Família Maligna                   mkv | mp4    (PASTA DO MEGA)
Episódio 23: A Terrível Boneca Explosiva!
Episódio Final: Para Sempre Saki



Ressha Sentai ToQger: Episódio 27!

By : Clock Up
Neste episódio Condutor revela sua insanidade para a aterrorizada Kagura...

Finalmente aparece o novo Power Up dos ToQgers...
Vou deixar vocês conferirem para ver o que acham, mas eu sinceramente achei uma grande porcaria  escolha um tanto equivocada por parte dos designers.

Cheers!

- Copyright © Rampage Subs - Rampage Subs - Powered by Blogger - -