Archive for Outubro 2014

Ressha Sentai ToQger: Episódio 34!

By : Victor Hugo da Silva
Que isso, Akira? Não sabia que você era desses! hahaha xD

Boa noite galerinha que nos acompanha! 
Hoje eu vim trazer pra vocês a 34ª história do nosso Sentai de trens! Nesse episódio a Mio é perseguida por um tarado que apareceu do nada! Será que ela consegue se livrar dele? Pra saber é só clicar no link abaixo!


PÁGINA DE DOWNLOAD

Review do Tio Donald: Timeranger

By : RodrigoPatoDonald
Timeranger: Bons momentos, enfim, chegam assim de repente mas são só de quem guardar!


Timeranger foi o último sentai do século, milênio e década passada. O tema da série (no caso, o tempo e a viagem atemporal) foi oportuno, visto que o mundo estava na expectativa de mudar de milênio. Muitas profecias foram desmentidas até o presente momento, quando vimos que estamos vivos até hoje e fazendo nossas travessuras pela net a fora.

Na história de Timeranger, vimos que 4 jovens (sendo que um deles é um alien) viajam do século XXX até o final do século XX para prenderem uma família de criminosos chamados de Londarz, que vieram enriquecer as nossas custas. Só que a vinda deles para o século XX causou um certo transtorno para o século XXX e os quatro integrantes precisam achar um jeito de prender a família Londarz e sua horda de criminosos. Para ativar o suit, Yuuri, Shion, Domon e Ayase precisavam de um outro integrante. E a escolha veio no jovem Asami Tatsuya, que socorreu o quarteto depois de uma sabotagem durante uma viagem mal-sucedida no tempo. No começo, Tatsuya tentou ser prestativo com os novos amigos. Mas eles eram ariscos e desconfiados com ele. A medida que eles observam que Tatsuya abriu mão de seu conforto familiar para ficar com eles, inclusive por ele se desprender dos negócios da família para ficarem com eles, o quarteto vai cedendo e encarando o jovem como uma pessoa valiosa que vale a pena ter. No meio tempo, surge Naoto Takizawa, que, devido a um plano mal-sucedido de Londarz, consegue se transformar em Time Fire.

Timeranger eu diria que é o "Kamen Rider Agito" ou o "Spielvan" dos Super Sentais. Talvez tal comparação seja exagerada da minha parte e talvez algumas pessoas até devam pensar que eu esteja doido. Mas, ao assistir Timeranger, eu percebi que é um dos sentais com a trama mais sérias e densas até o presente momento dos 20 sentais que eu vi. E tem uma forte carga dramática. O humor aparece sim, mas é escasso. A história exagera no drama e suspense. Cada personagem tem seu drama pessoal, que visa se resolver com a medida em que os episódios vão avançando. O humor só é explorado mesmo no episódio em que o Shion dorme. Nos outros episódios, o humor não é tão explorado sim. Uma coisa legal em Timeranger é que foi um dos poucos sentais onde houve um equilíbrio de personagens e seus dramas pessoais. Todos tiveram seu destaque e sua importância, não havendo favoritismo.

Uma novidade em Timeranger é que os monstros NÃO são "monstros" propriamente ditos. São criminosos da maior alta estirpe e de diversos tipos. Vamos encontrar ladrões, prostitutas, assaltantes, terroristas, ladras, clínicos clandestinos, gângsters, políticos, mafiosos, assassinos de aluguel e até mesmo líderes religiosos corruptos. Em suma, criminosos de toda sorte. E o mais legal. Os monstros NÃO são mortos ou destruídos. Eles são só presos numa cápsula. E depois voltam pra prisão. E uma outra coisa legal é que a família Londarz não chega na Terra para conquistá-la ou destruí-la, mas, para terem mais e mais dinheiro. O vilão Don Dornero é um dos vilões mais carismáticos e simpáticos que já vi num sentai. Ele fuma, bebe, mas, por trás disso tudo, ele me passou uma aura de um ser que preza a liberdade e quer usá-la para ganhar dinheiro, não importa os meios. Agora, o lunático Gien e a fútil Lila ficaram apagados pra mim. Uma coisa legal é que o verdadeiro "vilão" de Timeranger NEM foi a família Londarz como um todo. Eles foram praticamente usados por outra "entidade" que estava mais interessada na liberdade deles do que na prisão. E foi nesse ponto que eu encontrei uma certa similaridade com Spielvan. As mudanças temporais deixaram o final meio confuso, o que pode causar uma certa estranheza por parte dos telespectadores mais desavisados, deixando-os desnorteados. 

Como falei acima, houve um equilíbrio muito grande entre os personagens. É a primeira vez que vemos uma Pink tomar a iniciativa na liderança. Ao contrários das outras mulheres numa equipe, Yuri é uma mulher que passou por muitos problemas. E ela esconde isso numa máscara que realça sua seriedade, mas, perdendo a pose toda vez que seus olhos se encontram com Tatsuya. Sim! Antes de ser combatente, antes de ser policial, Yuri é mulher. É feminina. Tem sonhos. Em um dos episódios, foi mostrado para ELA que é possível ser uma excelente combatente SEM deixar a sua feminilidade de lado. A Yuri foi um prelúdio para o que seria a Shinken Red, Kaori, que seria a primeira líder red dos sentais (mesmo que numa participação pífia). 

Mas o melhor personagem mesmo, que me cativou com seu jeito simples e modesto foi Shion. Único remanescente do Planeta Hummard. Só dorme uma vez por ano no espaço de uma semana. O jeito simplório e "caipira"  de Shion é cativante. Shion é o caçula do grupo. Muitas vezes subestimado, rejeitado e até mesmo jogado de escanteio, tanto pelos seus parceiros como pelos vilões. É um guerreiro de aspecto frágil fisicamente. Apesar da fragilidade física, Shion compensa com uma inteligência fora do comum e uma memória perfeita. É dono de uma simpatia incrível e tenta ser amigos de todos. Geralmente, é o apaziguador das confusões entre os quatro membros do Timeranger. Apesar de reconhecer suas limitações, Shion é um personagem que sempre procura ser prestativo e, inconscientemente, acaba ensinando valores para os seus amigos. O clímax de Shion foi no episódio 21, onde seus amigos ficaram de fora do combate e ele teve que agir sozinho. Vimos aqui, um jovem esforçado, que queria ver seus companheiros bem. E se esforçou bastante. Como ele só dorme um dia inteiro por ano, ele se empenhou ao máximo para encontrar uma maneira de derrotar o monstro-bandido do dia. Foi aí que nós aprendemos que uma pessoa mais jovem pode ensinar e MUITO aos mais velhos. Aprendemos com Shion que os jovens, quando bem direcionados, podem ensinar aos mais velhos. Apesar de ser o mais jovem, Shion é o mais maduro do quinteto. É perspicaz e sensato. Por isso, Shion tem me ensinado a confiar nos mais jovens. E não posso subestimar aos mais jovens. Aprendo muito com eles. Eles podem nos ensinar, assim como Shion nos ensina.

Uma outra particularidade de Timeranger é que foi o primeiro sentai da franquia a ter uma mulher cantando uma opening. Mesmo sendo uma novidade, para a MAIORIA do público brasileiro, a música de Timeranger não se tornou algo agradável de se ouvir. A voz da cantora não agradou muito ao exigente público brasileiro (confesso que não sei como foi a reação dos fãs da franquia com relação a trilha sonora no Japão, mas..). E os arranjos da melodia também deixou a música "chata" (segundo a pesquisa que eu fiz com algumas pessoas no meu Facebook com relação a abertura de Timeranger e a MAIORIA disse que a abertura é chata por causa desses fatores que eu citei). Mas as BGMs e algumas músicas centrais são legais, principalmente o tema do Timerobô, que eu achei bacana. 

Assim, concluo dizendo que Timeranger é uma ótima série. Na minha concepção, ela deve ser assistida sim, mas, sem pretensões. O conselho que lhes dou é: assistam e tiram as suas conclusões. Vocês vão ter MUITO tempo para analisarem e tirarem suas PRÓPRIAS conclusões. O que o Pato fez aqui foi apresentar pontos de vista dele, com os prós e contras do que vão encontrar em Timeranger, segundo o ponto de vista dele. Agora, cabem a vocês decidirem assistirem ou não. ISH... já deu a hora... deixe-me ir... TIME UP!

Tokusou Robo Janperson: Episódio 5!

By : Clock Up
Medo do quê? Vamos legendar Janperson até o fim...

Yo, galera!
Neste episódio teremos uma historinha bem emocionante sobre uma garota em busca de coragem. Enquanto isso, Janperson mais uma vez será atacado impiedosamente pela Neo Guild.
Até a próxima... 
Cheers!

PÁGINA DE DOWNLOAD

Sukeban Deka I (1985) Episódio 06

By : Goggle Red
Sim, Miyako-chan... </3 Todos nós concordamos que você é linda. E um atrativo a mais neste presente episódio_ um de meus favoritos desta Season, e que também deverá conquistar muitos de nossos amigos tokufãs. Pois quem se liga em Bioman reconhecerá aqui ninguém menos que Naoto Ota, ator que interpretou o Shingo / Green Two no Super Sentai de 1984, vivendo mais tarde, em 1993, o inspetor Kojiro Koumori de Janperson_ um dos projetos correntes aqui no Rampage Subs. Naoto surge neste capítulo como Makoto Nakanema, namorado de uma cantora de sucesso.
Tal cantora, por sua vez, é interpretada por uma artista da música também na vida real, Sawako Kitahara. Com uma projeção satisfatória nos anos 80, Sawako chegou a lançar ótimas canções, e seu maior sucesso foi a "Doiyobi no Cinderella", de 1982. Com o papel que lhe foi dado nesta participação especial (o de Yukari Izumi, uma idol problemática), Sawako ainda canta ao longo do episódio "Yume de Aetara", uma composição original de Masayuki Suzuki do grupo Rats & Star, que ela regravou e lançou em 1984. O bloco musical é completado ainda por uma música da própria Chiaki Watanabe (intérprete de Miyako), que também encontra espaço aqui para divulgar um trecho de sua "Yogen", hit lançado poucos meses antes da exibição do episódio no Japão.

Fãs de J-Pop como eu piram com isso... \o/

Hero Tube!

By : Clock Up
Olá, galera!
Uma dica de utilidade pública para o pessoal que é fã de tokus, mas que não curte muito baixar arquivos da internet:
Vocês podem assistir lançamentos de vários grupos lá no site Hero Tube do nosso grande amigo Magal SD (gente boa esse menino... xD)


Segue o link:

HERO TUBE - ASSISTA TOKUSATSU ONLINE AQUI!!


Cheers!

Todos os Tokusatsus Exibidos no Brasil (Parte 2)

By : Kleber


Vamos para a segunda e última parte da matéria sobre os tokusatsus exibidos em terra brasilis. Dessa vez vai ser mais familiar a quem estiver lendo. Nunca é demais lembrar que:
Obs.1: Todos os tokusatsus estão listados por ano de produção, ao invés do ano de exibição no Brasil.
Obs.2: Por opção pessoal, não estão listadas as exibições “regionais”, sendo citadas apenas as emissoras mais notórias.
Ainda não leu a primeira parte? Clique aqui!


Space Cop – 1982 – 44 Episódios (Globo)
Gyaban lutava contra a organização Makuu, liderada por Don Holar (Don Horror). Tinha como companheira Mimi, filha (um tanto mimada) do Comandante Kom da Policia Espacial do planeta Bird (pronunciado como Bado, algumas vezes). É o primeiro Metal Hero, e serviu de padrão para seus dois sucessores. A armadura era materializada em seu corpo através de um comando de voz (“Jouchaku”, no original). Curiosamente, Gyaban não utilizava uma pistola laser, mas sim disparava feixes laser de seus punhos (na dublagem brasileira, Raios Seccionados), portava uma espada laser, cuja provável inspiração foram os sabres de luz usados em Star Wars. Também tinha em seu arsenal uma moto, um robô/nave em forma de Dragão chamado Dolgiran e um jipe que ele utilizava em sua forma civil, sob a identidade de Takeshi Ichijoji (Retsu Ichijoji, no original). A série foi exibida na Rede Globo com o nome Space Cop e sofreu por causa de uma terrível dublagem a qual foi submetida, mesmo sendo feita em um estúdio tradicional (os estúdios VTI Rio). O intérprete de Gyaban, o ator Kenji Ohba (Gyaban), é um ator muito conhecido e renomado no meio tokusatsu, tendo iniciado carreira como suit-actor (dublê fantasiado), ele começou a ter seu rosto aparecendo em cena em Battle Fever J, interpretando Battle Kenya e, posteriormente, em Denziman (como Denzi Blue), também teve participações em outras séries como Metalder, Jiraiya (Yajiro Yiho) e Kamen Rider ZO (Kuroda). Após Gyaban ele retornou com o mesmo personagem em Sharivan e em um especial com Sharivan e Shaider. Uma de suas mais famosas participações fora das séries japonesas foi em Kill Bill, onde interpretou o ajudante de Hattori Hanzo (interpretado pelo veterano ator Sonny Chiba, que interpretou o pai de Gyaban, Voicer). A propósito de retornar em personagens anteriores, Ohba reinterpretou Battle Kenya e Denzi Blue em Gokaiger, e reinterpretou o agora Comandante Gyaban em um filme de Gokaiger e em Gyaban Type-G, onde o sucessor de Gyaban nos é apresentado.
Entre as características que foram preparadas para se tornar um padrão da franquia (já que Gyaban foi o primeiro de uma trilogia de Policiais do espaço), temos o Espaço Makuu, uma dimensão paralela onde os monstros, em teoria, ficariam mais fortes do que o protagonista. Outra curiosidade fica por conta da até agora inexplicável ausência da atriz Wakiko Kano (Mimi) entre os episódios 30 e 42. Nesse tempo, Marin, a ajudante do Comandante Kom, ocupou o lugar de Mimi ao lado de Gyaban.
O ator Masayuki Suzuki dá vida ao atrapalhado Kojiro, o personagem aparece em todas as três séries dos policiais do espaço, sendo alívio cômico das tramas.


Gigantes Guerreiros Goggle V -1982 - 50 episódios (Bandeirantes)
Reunidos pelos Computer Boys & Girls, uma organização criada pelo Professor Hongo, os Gigantes Guerreiros Goggle V combatem a ameaça do maligno Império Desdark (Death Dark). A série foi exibida pela Bandeirantes e distribuída pela Oro Filmes, uma distribuidora de filmes italiana que decidiu ir na carona do sucesso das séries japonesas. Entretanto, a série sofreu por terem sido utilizadas as fitas masters da exibição italiana, onde diversas músicas de fundo e efeitos sonoros foram trocados por músicas repetitivas e barulhos retirados de chaveirinhos eletrônicos muito vendidos na época. A série não mostra inovações, mas algumas curiosidades, como o robô utilizado por apenas 3 dos Goggle V, sendo os dois restantes tripulantes da Goggle Aeronave (que ficava convenientemente escondida debaixo do Estádio Korakuen, que por sua vez, sempre estava lotado quando era necessário utilizar o veículo, mas ninguém notava que ele estava sendo erguido), o fato de os nomes dos personagens fazerem alusão ao nome da cor de suas vestimentas em japonês (Akama-Akai-Vermelho, Kuroda-Kuroi-Preto, Aoyama-Aoi-Azul, Kijima-Ki-Amarelo, Momozono-Momoi-Rosa), a participação do ator Junichi Haruta como Kanpei Kuroda (no ano seguinte o ator interpretaria Dyna Black em Dynaman e ainda daria vida ao icônico vilão MacGaren em Jaspion. O próprio ator disse em entrevista à Revista Henshin que a cor preta o persegue.) e do ator Noboru Nakaya (Edin em Jaspion), como o Professor Hongo. Outro fato interessante foi o boato do falecimento do ator que fez Akama/Goggle Red. Na verdade, o ator ainda está bem vivo e deixou a vida artística, passando a utilizar o seu nome real, o que causou toda a confusão.
O ator Toshimichi Takahashi (General Desguiller) é outra figurinha repetida em tokusatsus. Em Sharivan ele interpretou a forma humana do monstro Boxer Beast e Keith, um alienígena aliado de Sharivan. Também interpretou Ikki em Jaspion e o androide Snooker em Cybercops. Foi o suit actor do Dr. Bio em Spielvan, de Baraom em Black e interpretou o General Jark em Black RX. O ator tem como características suas proeminentes costeletas.


Detetive Espacial Sharivan – 1983 - 52 Episódios (Bandeirantes)
Sharivan lutava contra as forças de Mad, liderados por Maoh Saiki (Mao Psycho), que utilizava o Mundo das Dorgas Mundo da Alucinação para tentar fortalecer seus monstros para tentar derrotar o herói, mais uma das características recorrentes das séries dos policiais do espaço citadas anteriormente. Destaca-se a atuação de Hiroshi Watari, que herdou o cargo de detetive responsável por defender a Terra, tendo feito uma aparição como guarda florestal na série anterior, Gyaban, que agora é seu superior. Seu grito de transformação é “Raio Solar” (“Sekisha”, no original). Essa série foi o primeiro e o que teve o melhor tratamento das séries da trilogia a ser exibida aqui.
Hiroshi Watari iniciou a carreira como dublê e iria aparecer em diversas séries posteriores, sendo outra participação  notória em Jaspion,  como Boomerman. O ator viria pela primeira vez ao Brasil no evento Anime Friends em 2003, ao lado dos lendários cantores Akira Kushida e Hironobu Kageyama. Além dessas participações, incluem-se as nas séries Metalder (em dois episódios que reuniram diversos rostos conhecidos, como Junichi Haruta (MacGaren), Makoto Sumikawa (Lady Diana) e o já citado Kenji Ohba), Spielvan, Boukenger, Wecker Signa, Kamen Rider W e no filme Zebraman.


Machineman – 1984 - 36 episódios (Bandeirantes)
Niko/Ken Takase, um estudante vindo do Sistema das Plêiades, chega à Terra para conhecer o planeta e acaba combatendo a organização Tentáculo (e mais tarde a organização Polvo). Ele se transforma no herói Machineman e tem como assistente o pequeno Ball Boy, um robozinho em forma de bola de baseball. Entre as curiosidades sobre a série, as mais interessantes são: o criador da série é nada mais nada menos que Shotaro Ishinomori, criador das famosas franquias Kamen Rider e Super Sentai, a participação da atriz Kyomi Tsukada (Anri em Jaspion) como Gunko e da atriz Machiko Soga (conhecida no Brasil por ter interpretado Aracnin Morgana em Jiraiya, Alabass em Maskman, Rainha Pandora em Spielvan e Rita Repulsa em Power Rangers) dublando Ball Boy no áudio original. O veterano ator Eisei Amamoto (Prof.K) interpretou o vilão Shinigami Hakase (Dr. Shinigami ou Doutor Morte) no primeiro Kamen Rider.


Policial Espacial Shaider – 1984 – 49 Episódios (Globo)
Shaider é o terceiro policial do espaço e lutava contra o Império Mágico Phuuma, destaca-se por ter Hiroshi Tsuburaya (filho de Eiji Tsuburaya, criador da franquia Ultraman) como o protagonista Dai Sawamura/Shaider e pela atriz Naomi Morinaga, interpretando Annie, uma personagem que quebrou o padrão de ajudante feminina que comumente se expõe ao perigo e se torna um instrumento para os vilões ameaçarem o herói, ao se mostrar uma espiã de personalidade segura e que não fugia de uma luta, já que queria se vingar do clã Phuuma, liderado pelo maléfico Grande Imperador Kubilai, por este ter destruído seu planeta natal. O grito de transformação de Shaider é “Sinterizar” (“Shouketsu”, no original). Um dos golpes de Shaider era um no qual sua nave, Babiros, tomava a forma de uma pistola gigante e o herói projetava sua própria imagem, proporcionalmente adequada à arma, para dispará-la (esse golpe foi reutilizado por Spielvan). Outra peculiaridade é a personagem Sacerdotisa Pauh, que, apesar de ter uma aparência feminina, é interpretada pelo ator Toru Yoshida, conhecido no Brasil por ter dado vida ao vilão Taurus (Birugenia, no original) em Kamen Rider Black. Infelizmente, Shaider foi mais uma série que sofreu do mal de ser transmitido pela Rede Globo, dessa vez o problema não foi a dublagem, mas os horários ridículos em que era exibido, tipo aos Sábados às 6 da manhã. O ator Hiroshi Tsuburaya faleceu em 24 de julho de 2001, devido ao câncer no fígado, causado pelo alcoolismo.


O Fantástico Jaspion – 1985 - 46 episódios (Manchete e Record)
Criado pelo sábio profeta Edin, Jaspion combate o exército maligno de Satan Goss e seu filho MacGaren (Mad Galant). Tendo a companhia da androide Anri e da monstrinha Miya, Jaspion viaja na espaçonave Daileon e busca encontrar o lendário Pássaro Dourado, a única criatura que Satan Goss teme. O quarto Metal Hero foi uma tentativa da TOEI de inovar a franquia, já que a ideia original seria que Jaspion visitasse um planeta diferente a cada episódio (ideia que foi abandonada por causa dos custos para construção de cenários), Jaspion não faz parte da Polícia Galáctica e possui um robô com movimentação mais assemelhada aos robôs de Super Sentai (os robôs de seus antecessores quase não tinham mobilidade). Sucesso absoluto no Brasil, foi o grande responsável pelo o que se considera o grande “boom” dos tokusatsus, ao lado de Changeman. Iniciaram uma grande enxurrada de séries similares que dominaram a TV brasileira durante o final dos anos 1980 e a primeira metade dos anos 1990. Personagens cativantes, trilha sonora eletrizante e um enredo que prende a quem assiste são alguns dos fatores que o fazem tão querido entre os tokufãs.
A popularização dessas séries (Jaspion conseguia bater a audiência da toda poderosa Rede Globo e seu carro chefe da programação infantil, o Xou da Xuxa) acabou gerando, além de brinquedos, quadrinhos desenhados por artistas nacionais cujas histórias eram baseadas nos episódios da TV e eram publicadas pela editora EBAL. Alguns anos depois, a editora Abril Jovem lançou quadrinhos do Jaspion e de outros heróis japoneses, que continham histórias que se passavam após o término de suas respectivas séries.
O ator Seiki Kurosaki interpretou no ano anterior o personagem Shouta Yamamori, que queria ser o sexto Bioman em Chodenshi Bioman. O ator abandonou a vida artística em protesto pelo grave acidente de um dublê (não tenho certeza se foi em Jaspion, ou se o dublê era um amigo dele e se acidentou em uma filmagem de outra série), devido a falta de segurança para tal prática. Kurosaki virou instrutor de mergulho.
Em 2009, Jaspion foi lançado em DVD pela Focus Filmes. Apesar de vir em uma lata com brindes e os episódios terem uma qualidade de imagem decente, gerou burburinho o boneco que vinha junto como brinde, por ele ser muito mal feito. A Distribuidora deu a desculpa de não ter recebido o material encomendado por eles (mas então, por que lançaram o material com o tal boneco mal feito?).
No Japão, Jaspion não fez o mesmo sucesso que no Brasil, mas passou bem longe de ser um fracasso.


Esquadrão Relâmpago Changeman -1985 - 55 episódios (Manchete e Record)
Energizados pela misteriosa Força Terrena, cinco jovens militares adquirem superpoderes e comandam poderosos veículos para defender a Terra da ameaça do Império Gozma e seu líder, o Rei dos Planetas Bazoo. A equipe é formada por Hiryu Tsurugi (Change Dragon), Shô Hayate (Griphon), Yuma Ozora (Pegasus), Nagisa Sayaka (Mermaid) e Tsubasa Mai (Phoenix). Seu líder é o destemido Sargento Ibuki. Primeiro seriado Super Sentai a ser exibido no Brasil (embora seja o 9° na franquia), Changeman repetiu aqui o grande sucesso que teve no Japão, onde gerou dois especiais para o cinema. Também apresentou para os brasileiros o que seria alguns elementos do padrão Super Sentai, os uniformes coloridos, o robô gigante formados por junções de veículos, os soldados inimigos que só servem para apanhar e o estereótipo de vilão que quer dominar o mundo por algum motivo. Changeman trouxe como inovação um monstro que aumentava de tamanho os monstros derrotados, o carismático Gyodai
Foi o segundo Super Sentai com maior quantidade de episódios, sendo o primeiro o insuperável Himitsu Sentai Goranger (84 episódios).
Também lançado em DVD no Brasil, Changeman teve reclamações por ter alguns episódios tirados do TOEI Channel (episódios com qualidade de imagem inferior) e com um problema de áudio nos últimos episódios do segundo Box, que misteriosamente ficou aparentemente “lerdo”. A distribuidora não deu satisfações sobre o problema de áudio, mas disse que todos os episódios foram mandados pela própria TOEI e o áudio foi remasterizado de materiais cedidos por fãs.


Bycrossers – 1985 - 38 episódios (Globo e gazeta)
Os irmãos Ken e Gin (Gingiro) Mizuno recebem poderes de uma entidade cósmica para combaterem a organização criminosa Destler, liderada pelo Dr.Q, que usa o sofrimento das crianças para que o demônio Gowla produza os mais belos diamantes.
Curiosidades:
Além de ter sido exibido pela Rede Globo, Bycrossers sofreu do mal de não ter o seu último episódio dublado/exibido (a série termina de fato no episódio 34, os episódios seguintes são uma espécie de retrospectiva);
Diversas vezes se nota alguma referência à franquia Kamen Rider (seja um mangá ou um eventual episódio em alguma TV), isso acontece porque essa série também é criação de Shotaro Ishinomori;
O ator Yuki Tsuchiya (Bycrosser Gin) faleceu em um acidente automobilístico em 1990;
O ator Kenji Ushio (Dr.Q) era muito famoso entre os fãs japoneses por ter encarnado o personagem Jigoku Taishi (Embaixador do Inferno) em Kamen Rider (1971), o primeiro Rider da franquia e Kurayami Taishi (Embaixador da Escuridão) em Kamen Rider ZX. Além disso, também interpretou um herói (Rainin Captor 1) em Ninja Captor (1976). Ushio faleceu em 1998.


Comando Estelar Flashman - 1986 - 50 episódios (Manchete e Record)
Cinco crianças foram sequestradas por caçadores espaciais e salvas e criadas pelo povo do planeta Flash. 20 anos depois elas retornam à Terra com armas e poderes especiais para lutar contra o Monarca La Deus, líder do Cruzador Imperial Mez, além de procurar por seus pais verdadeiros. Essa série mostrou inovações não só para os brasileiros, mas para a franquia Super Sentai como um todo, ao apresentar um segundo robô para substituir o primeiro, danificado em batalha. É aclamado por muitos (inclusive este que vos fala) como o Sentai de melhor roteiro a ser exibido por aqui. Também foi lançado em DVD pela Focus e teve uma aceitação igual ou superior á Jaspion.
Uma informação errônea creditava a atriz Mayumi Yoshida (Lu/Pink Flash) como parte do elenco de Goggle V, interpretando a vilã Mazurca, porém, foi um mero equívoco causado por ambas as atrizes utilizarem o mesmo nome.
Jin/Red Flash foi o primeiro de três reds dublados por Francisco Brêtas, sendo os dois outros reds Google Red e Red Mask.
Falando em Red Mask, o ator Ryosuke Kaizu (Takeru) fez uma participação como o personagem Ryu Akakusa, que fica amigo de Dan/Green Flash. Tal prática de reaproveitamento de atores é como se fosse um costume da TOEI.
O ator Kazuhisa Hirose chegou a fazer testes para o papel de Jin, mas foi escolhido para interpretar o vilão Wandar. O ator havia participado em Jaspion como um noivo no episódio “Perigo na Lagoa dos Noivos”, também participou de Liveman (Dr.Kemp), Jetman (Imperador Tranza), Jin Matoba em Dairanger e participações em Changerion e Kamen Rider Agito.
O ator Kihachiro Uemura (Green Flash) voltaria a interpretar seu personagem em Kaizoku Sentai Gokaiger.


Guerreiro Dimensional Spielvan – 1986 - 44 episódios (Manchete)
O temível Império Water (no original, Waller) deixa o planeta Clean inabitável e os sobreviventes se lançam ao espaço em uma nave. Como a situação dos habitantes remanescentes estava no limite, eles decidem enviar duas crianças a bordo do Cruzador Espacial Defender (Gran Nazca) para, após um período de doze anos em animação suspensa, iniciarem o combate à Water, impedindo que esse maligno ser contamine a água do nosso planeta, cobiçada em razão de seus recursos naturais e da imensa quantidade de água em sua superfície. Spielvan e a sua parceira Diana, tão logo aterrizam na Terra, iniciam sua missão de combate à Water. Porém, Spielvan também tem como objetivo resgatar seu pai, Prof.Paul (Prof.Ben), e sua irmã, Helen, das mãos dos vilões. O problema é que Spielvan desconhece que seu pai foi transformado no Dr.Bio e sua irmã foi transformada pelo próprio Dr.Bio em Herbaira (Hellvira) e estão à serviço da Rainha Pandora e lutando ao lado dos demais membros do império.
O Prof.Paul é interpretado por Ichiro Mizuki, que é cantor e é o responsável pela abertura e encerramento de Spielvan, assim como outras músicas da série.
Makoto Sumikawa (Diana) oficialmente é a primeira mulher a trajar uma armadura em séries Metal Hero, sendo que a própria atriz vestia o traje para cenas de close.
A atriz Naomi Morinaga retorna aos tokusatsus como Helen. Após a fase Herbaira, a personagem se torna uma aliada de Spielvan, trajando uma armadura igual á de Lady Diana, se diferenciando por utilizar uma espécie de bumerangue.
Machiko Soga, mais uma vez, não deixou por menos e caprichou em sua interpretação como a Rainha Pandora.
Como estratégia de Marketing, Spielvan foi anunciado como Jaspion 2, porém, não se trata de uma continuação de Jaspion, sequer tendo ligação com o universo do herói. Tal estratégia claramente não deu certo.
Spielvan teve sua transmissão encerrada faltando a exibição dos quatro últimos episódios, que não foram sequer dublados. Embora não seja difícil encontrar tais episódios legendados, vale ressaltar que tanto o ator Hiroshi Watari, quanto alguns tokufãs, não compreenderam o final da série.


Metalder, O Homem Máquina – 1987 - 39 episódios (Bandeirantes)
Um poderoso androide construído durante a Segunda Guerra Mundial é despertado no presente para enfrentar a ameaça do Império Neroz, comandado pelo temível Imperador Neroz, que se esconde por trás da identidade do empresário Makoto Dolbara. Metalder, cuja forma humana se chama Hideki Kondo (Ryuusei Tsurugi, no original), recebe a ajuda do cão robô Springer, da fotógrafa Maya Aoki (Mai Ogi) do motociclista Satoru Kita (Hakko Kita) e de Top Gunder, antigo membro da Unidade Cibernética de Neroz. Outros personagens chegaram a abandonar o Império Neroz, como Rhapsody, Kellen (Wisdamu) e seu filho, Hedocross Jr., mas apenas Top Gunder retorna para ajudá-lo.
A série conquistou um público cativo no Brasil, mas não fez o devido sucesso no Japão, devido à temática da série ser considerada um tanto adulta até mesmo para a época.
Metalder guarda muitas semelhanças com uma série chamada Kikaider, como o fato de ambas as formas humanas dos protagonistas serem baseadas no filho de seus devidos criadores e as cores básicas de ambos ser azul e vermelho.
Ao contrário do que alguns achavam, Metalder não morre no último episódio. O que aconteceu foi que ele perdeu a capacidade de voltar à forma humana, portanto, ele escolheu se isolar da sociedade humana.
Antes de Metalder, Kazuoki Takahashi (Satoru) havia interpretado Hayate/Change Griphon em Changeman, Miram em Flashman, e após Metalder, interpretaria o vilão Aman Negro em Jiraiya, um vilão em Patrine, uma participação em Kamen Rider Kiva e reprisaria seu papel como Hayate em Kaizoku Sentai Gokaiger.


Defensores da Luz Maskman - 1987 - 51 episódios (Manchete)
Os defensores da luz, treinados pelo Chefe Sugata, enfrentam a ameaça do Império Subterrâneo Tube utilizando o poder interior chamado aura. A série mostra o relacionamento do herói Takeru (Takeo na dublagem brasileira), com a habitante do império subterrâneo Tube Miho, que era na verdade, Yan, a princesa do império. A repercussão da série no Brasil foi mediana, dado que a série foi exibida bem no final da febre toku. Inclusive, sendo reexibida entre o fim da Manchete e o início da “Rede TV!”, quando foram exibidos cerca de 38 episódios na recém criada emissora, quando ela funcionava em caráter experimental.
A atriz Mina Assami interpreta as gêmeas Yan e Igan. A personagem Igan é uma mulher que se disfarça como homem, porém tal fato ficou descaracterizado na dublagem brasileira. Ainda sobre a atriz, ela interpretou Cyberia em Flashman e é conhecida no Japão por ter participado de filmes eróticos/pornôs.
A atriz Machiko Soga participa do episódio 30, interpretando Alabass, mãe do Comandante Barabass. Sobre Barabass (cujo nome é o mesmo do personagem bíblico), ele manteve o estereótipo guerreiro de personagens como Buba e Wandar.
O ator Issei hirota (Blue Mask) voltaria a interpretar o personagem em Kaizoku Sentai Gokaiger. O ator também pode ser visto em Jiraya, interpretando o ninja Yanin Spyker.
As características físicas e a supervelocidade de Oyubo o assemelham ao personagem The Flash da DC Comics.
Outros nomes alterados na dublagem foram Sayaka (Haruka no original) e Keiko (Momoko no original), os motivos para essas mudanças são desconhecidos. Uma série com cenas de ação elogiadíssimas, mas com certas críticas por parte de alguns tokufãs, por ter um roteiro direcionado à história amorosa entre Takeru e a Princesa Yan, o que tirava o destaque de outros personagens da equipe.
O ator que interpreta o Chefe Sugata (Hayato Tani) é famoso no Japão por apresentar o programa Takeshi’s Castle, onde uma série de gincanas valendo prêmios são apresentadas. Tais gincanas foram adaptadas no Brasil como as Olimpíadas do Faustão. Atualmente, a versão brasileira é exibida no Programa Silvio Santos.


Kamen Rider Black – 1987 - 51 episódios (Manchete)
Na noite em que os irmãos de criação Issamu (Kotaro) Minami e Nobuhiko Akizuki comemoravam seu 19º aniversário, sua festa é invadida subitamente por uma nuvem de gafanhotos. Estranhamente, nenhum dos convidados se incomodava com tal fato, à não ser Kyoko, Satie e os irmãos. Mais tarde, quando ambos voltavam para casa de moto, eles foram abduzidos e levados para a base da organização Gorgom, que planejava dominar o mundo se infiltrando na sociedade, tendo entre seus membros pessoas muito influentes. Issamu e Nobuhiko são submetidos à uma cirurgia para se tornarem uma criatura mutante híbrida de um gafanhoto. Eles foram escolhidos para tal por terem nascido durante um eclipse solar, que anunciaria o nascimento do sucessor do Grande Rei dos Gorgons. Após a cirurgia, ambos deveriam lutar entre si até a morte, para que o vencedor reclamasse o posto de Grande Rei. Porém, Soichiro Akizuki consegue libertar Issamu antes que ele tivesse suas memórias apagadas, mas não conseguiu fazer o mesmo por Nobuhiko. Por mais que Issamu tenha conseguido fugir, ele já não é mais um humano comum, já que o King Stone foi implantado em seu corpo e agora ele possui força e agilidade acima de um humano normal além da capacidade de se transformar em Kamen Rider Black.
Adorado por muitos, Black foi o primeiro Kamen Rider exibido no Brasil, mas é a 8ª série Rider exibida no Japão (já que Kamen Rider ZX é um filme). Por ser o primeiro exibido no Brasil, acabou erroneamente se tornando um padrão para alguns. Porém, vale ressaltar que até mesmo Black fugia do estereótipo inicial de um Rider, Black era um ser orgânico e não um ciborgue (fato compartilhado com Kamen Rider Amazon), não usava o característico cachecol, a organização do mal não possuía os costumeiros “soldadinhos toscos” e não contou com a participação do veterano ator Akiji Kobayashi como o personagem Tachibana Tobei (o personagem era um ponto em comum que unia o universo dos Riders mais antigos) tampouco a participação dos Riders anteriores em sua reta final (porém esse último costume também tinha suas exceções).
Entre as curiosidades de Black destacam-se:
A série era anunciada no Brasil como “Blackman” porque achavam que “Kamen Rider Black” seria muito extenso e confuso para as crianças. O herói acabou sendo chamado de “Black Kamen Rider”;
O ator Tetsuo Kurata (Black) cantava a música da abertura e outra música entitulada “Ore Seishun”, o ator reprisaria o personagem em Kamen Rider Decade;
O ator Susumu Kurobe (Ultraman Hayata) interpretou o Prof.Kuromatsu;
A atriz Hiroko Nishimoto (Change Mermaid) interpretou uma amiga de Satie no episódio 29, sendo essa sua única participação oficial em tokusatsus exibidos no Brasil fora Changeman. Erroneamente um boato creditava à ela o papel da personagem Red Panther em Metalder, porém as atrizes possuem características físicas bem distintas;
Mais uma das criações do genial Shotaro Ishinomori, Black foi completamente modificado desde sua ideia original. Tal ideia foi aproveitada no filme Kamen Rider Shin – Prólogo e se manteve na versão mangá de Black;
A forma intermediária da transformação de Black é baseada em sua versão visual no mangá;
Apesar do grande sucesso, o último episódio nunca foi exibido/dublado.


Cybercops, Os Policiais do Futuro - 1988 - 36 episódios (Manchete e CNT)
Equipe de policiais blindados do ZAC (Zero-section Armed Constable) lutam contra a organização criminosa Destrap (Death Trap), que ameaça a humanidade em prol do domínio do mundo através computadores. A série produzida pela Toho foi trazida ao Brasil pelo empresário Nelson Sato e conquistou um grande público cativo, que lembra com carinho dos personagens até hoje, são eles: Shinya Takeda/Júpiter, que não recordava de seu passado. Mais tarde descobre-se que ele veio de um futuro onde as máquinas da Destrap  dominam o mundo e que seu codinome é Z226. Akira Hojyo/Marte, considera o Capitão Oda como um pai, é o líder dos Cybercops e, de início, não tolera muito a personalidade do Takeda, constantemente chamando-o de novato ou amador. Ossamu Saiyonji/Mercúrio, que decidiu se tornar policial em honra da memória de seu irmão, quase chegou a deixar os Cybercops por causa de uma promessa feita à sua mãe, foi um personagem um tanto mal explorado, tendo apenas um episódio em que ele foi o principal. Ryoiti Mouri/Saturno, brincalhão e mulherengo, na verdade é um homem que preza a amizade e a família, sendo o mais velho de 6 irmãos, pelos quais é responsável desde a morte de seus pais. Lucifer, acusava Takeda de ser um aliado da Destrap que traiu seus companheiros e de explodir a torre Babylon, o que causou o vórtice temporal que os trouxeram ao ano de 1999. Inicia como um ávido adversário de Takeda, após, vira o mais valioso aliado dos Cybercops, quando descobre que o verdadeiro culpado era um antigo companheiro deles, Barão Kageyama. Tomoko Uesugi, uma Cybercop sem armadura, já que não houve financiamento para a construção da Unidade Vênus, porém, isso não foi um empecilho para que ela auxiliasse os demais na luta contra a Destrap.
Além dos personagens, uma das coisas que mais chamou a atenção dos tokufãs foi a precariedade dos efeitos especiais (muitas vezes chamados de “Efeitos Chapolin”), já que havia um uso exaustivo e exagerado do Chroma Key.
A princípio, Cybercops teria um ritmo bem característico dos Super Sentais, como mostra o episódio piloto. Inclusive, a série seria gravada em película, ao invés da tecnologia BetaCAM. Isso e o fato do Chroma Key se devem por causa do baixo recurso monetário destinado à produção da série.
Entre outras curiosidades, estão:
A participação do anteriormente citado Junichi Haruta, como o policial chinês Pylon (Pai Long);
A mudança da pronúncia do nome do vilão Barão Kageyama (na versão brasileira ficou “Kajeyama”), para evitar um problema de cacofonia;
O estúdio de dublagem foi o BKS, sendo que o mais comum era a utilização dos estúdios da Álamo, porém, esse fato contribuiu bastante para a popularização de Cybercops, sendo uma dublagem muito elogiada até hoje;
O ator Ryoma Sasaki (Ossamu) fez testes para interpretar Issamu Minami (Black), podendo ser facilmente reconhecido nos vídeos do teste de elenco da série;
Com exceção do ator Tomonori Yoshida (Júpiter), todos os outros Cybercops vestiam os trajes em cenas de ação, sendo todos membros treinados do JAC (Japan Action Club);
A atriz e cantora Mika Chiba (Tomoko), tinha 16 anos na época das filmagens e cantava a música de encerramento;
O ator Shogo Shiotani (Marte) cometeu suicídio em 2002, o ator sofria de transtorno bipolar que agravou seu quadro de depressão quando seu projeto de fazer uma nova versão de Cybercops foi negada;
Os atores Shogo Shiotani, Ryoma Sasaki, Tom Saeba (Saturno) e Takashi Koura (Lucifer) fizeram participações especiais em Ultraman Tiga. Tomonori Yoshida e Mika Chiba participaram em Gransazer.


Jiraiya, O Incrível Ninja - 1988 - 50 episódios (Manchete)
A família Yamashi protege o tesouro espacial Pako da família dos Feiticeiros, que é liderada pelo ganancioso Oninin Dokusai. Treinados por Tetsuzan Yamashi, Toha (Jiraiya), Kei (Emiha) e Manabu são ninjas modernos que lutam pelo bem. Jiraiya utiliza a misteriosa Espada Olímpica (Jikkou Shinkuu Ken, no original) para derrotar seus inimigos. A trama da série gira em torno de uma “guerra mundial ninja” (por vezes chamada de olimpíada dos ninjas), em que as metades da inscrição (uma metade com Dokusai e outra com Tetsuzan) estão em jogo, pois juntas elas mostram a real localização de Pako. Outra série que é lembrada com grande carinho pelos tokufãs, Jiraiya tinha uma trama simples e que prendia o telespectador frente à TV. A princípio um garoto orgulhoso, teimoso e convencido, Toha foi amadurecendo (com muito custo) no decorrer da série.
Em suas aventuras, Toha conhece muitos aliados, entre eles Barão Owl, Kazenin Mafia (Storm), Rainin Wild, Igyonin Benin Lagarto, Bakunin Homem Míssil, Seinin Allan, Yanin Spyker e a misteriosa Kinin Heiha Yagyu (que possui o brilho de Pako em seus olhos).
O ator Takumi Tsutsui (Jiraiya) veio ao Brasil pela primeira vez em 2004, ao lado de Hiroshi Watari no evento Ressaca Friends em São Paulo. Retornou ao Brasil em 2008 com o cantor Akira Kushida no evento Anime World, em Porto Alegre, onde tive a oportunidade de conhecê-los.
O Dr.Masaaki Hatsumi (Tetsuzan) é mestre ninja de verdade, sendo o único mestre ninja vivo. Ele também é fundador do Bunjinkan, instituição que ensina Ninjutsu e é tido como um dos maiores traumatologistas do Japão.
Takumi Hashimoto repetiu seu papel como Manabu no episódio 31 de Jiban, no ano seguinte. Em 1992 participou de Kyoryu Sentai Zyuranger, na qual interpretou Boy/Tiger Ranger. Zyuranger acabou se tornando o primeiro Power Rangers.
Masayuki Suzuki daria vida á mais um personagem cômico, dessa vez trata-se de Henry Hakushin, um vidente e ninja desastrado que tem uma paixonite por Kei.
A série foi lançada em DVD pela Focus e sofreu com duras críticas, devido à má qualidade e falta de capricho na confecção do mesmo. Todos os episódios do primeiro Box foram feitos com episódios retirados do TOEI Channel, cuja qualidade de imagem é inferior às dos DVDs lançados no Japão e inferior às cópias brasileiras vendidas na internet, além de ter legendas pessimamente traduzidas. Há algum tempo, o primeiro Box foi relançado no Brasil com qualidade de imagem melhores.


Kamen Rider Black RX – 1988 - 47 episódios (Manchete)
Issamu Minami é agora piloto de helicópteros. Em um de seus voos, três estacas surgem e provocam falhas no equipamento do helicóptero. Algumas horas depois, monstros encapuzados e com rosto de caveira (Skarma) surgem provocando o caos. Issamu decide enfrentá-los, porém, não consegue sequer se transformar em Black. Transportado para a base do Império Kaima, lhe é oferecido a opção de se unir à eles, inclusive tendo o seu poder como Black aumentado, mas Issamu recusa e é atingido fatalmente em seu King Stone. Lançado ao espaço, a radiação solar ativa sua mutação e ele ressurge como Kamen Rider Black RX, o filho do Sol (embora o Sol negue a paternidade LOL)!
RX foi o responsável por nos apresentar os 10 Kamen Riders que o antecederam (Ichigo, Nigo, V3, Riderman, X, Amazon, Stronger, Sky Rider, Super 1 e ZX).
RX divide opiniões entre alguns tokufãs, já que alguns não o consideram uma sequencia de Black, embora a cronologia oficial da TOEI diga que sim (inclusive, nas imagens promocionais em que RX estava presente, Black não aparecia, tal fato é ignorado atualmente, já que ambos aparecem juntos até nos filmes da franquia). Também pesa na opinião de quem é contra o fato de Black ter sido capturado muito facilmente e ter sua transformação anulada por um grupo de vilões que estudaram as habilidades de Black e conseguirem fazer em poucos minutos o que os Gorgons não conseguiram durante 51 episódios.
Outros fatos que geraram discussões foram o sumiço da Road Sector, a segunda moto de Black, já que a Battle Hopper foi transformada em Acrobatter, o sumiço de Kyoko e Satie, que foram viver nos Estados Unidos mas nunca mais deram notícias e o retorno de Shadow Moon, esse fato o mais questionado.


Ao contrario do que foi amplamente divulgado, RX foi o segundo Rider a mudar de forma, sendo o primeiro o Stronger (Charge Up Form). As formas alternativas de RX são Robô Rider e Bio Rider.

Policial de Aço Jiban – 1989 - 52 episódios (Manchete)
Naoto Tamura é um policial que foi mortalmente ferido na luta contra organização Biolon. Transformado no ciborgue Jiban, ele passa a destruir os monstros criados pelo insano cientista Dr.Jean-Marie (Dr.Giba no original).
A princípio, Jiban deveria ser uma continuação de Jiraya (fato que refuta certas afirmações sobre Jiraya não ter feito sucesso no Japão), onde o protagonista seria um policial ninja, porém, todavia, entretanto, naquela época o filme Robocop estava fazendo muito sucesso, então a TOEI decidiu mudar de ideia e pegar carona no sucesso do policial robô yankee.
O ator Shouhei Kusaka (Naoto/Jiban) havia interpretado o ninja Kaminin Oruha em Jiraya e um motoqueiro em Sharivan.
Apesar de ter músicas magistralmente cantadas por Akira Kushida, a mesma criatividade não se manteve nas músicas de fundo, que são recicladas de outros Metal Heroes, como Jaspion e Sharivan.
O ator Akira Ishiama (Yanagida) interpretou o Dr.Tokimura em Flashman.
Mais uma série que sofreu do mal de não ter o seu final exibido, mas os brasileiros finalmente puderam assisti-lo quando a série foi lançada em DVD em 2011. Como os dois últimos episódios não foram dublados, um novo elenco de dublagem foi contratado para substituir os dubladores que não puderam retomar os seus personagens, seja por motivo de falecimento, aposentadoria ou estarem vivendo no exterior.

Estrela Fascinante Patrine – 1990 - 51 episódios (Manchete)
A colegial Sayuri Nakami (Yuko Murakami, no original) é escolhida por Deus para ser Patrine, a protetora de sua cidade. Porém, ela não pode revelar sua identidade para ninguém, do contrário, será transformada em um sapo! Tal fato também ocorre com sua irmã mais nova, Tomoko (Momoko), que se torna a Pequena Patrine.
Uma trama infantil e mais voltada ao público feminino, foi uma tentativa da Rede Manchete de se aproximar desse público, infelizmente, não teve o efeito esperado. A série possuía um ritmo bem comédia, com vilões bem pastelões, como um ladrão de fitas de vídeo game, um bandido que atacava as pessoas com golpes de wrestling, outro que fazia a lição de casa das crianças e o temível “Diabo do Inferno” (Diablo).
Outra das criações do genial Shotaro Ishinomori, contou uma participação especial da franquia Kamen Rider, quando uma vilã apareceu trajando uma fantasia de Kamen Rider.
A série fez sucesso no Japão, tanto que, de uma previsão de 28 episódios, foi feita uma segunda temporada centrada no surgimento da Pequena Patrine e do Diabo do Inferno.
Patrine inspirou a mangaká Naoko Takeuchi a criar seu grande sucesso Sailor Moon.
A personagem Patrine (interpretada por outra atriz) apareceu no filme Kamen Rider Wizard & Fourze - Movie Wars Ultimatum.
Outra curiosidade interessante, no primeiro episódio o ladrão de fitas rouba um jogo da série Dragon Ball para NES.


Esquadrão Especial Winspector - 1990 - 49 episódios (Manchete)
Em 1999, entra em ação uma força policial de alta tecnologia liderada pelo Chefe Shunsuke Massaki. Seus integrantes principais são o Capitão Ryoma (Fire) e os androides Biker e Highter.
Winspector foi uma tentativa de reavivar a franquia Metal Hero, dessa vez deixando de lado a temática espacial e utilizando a temática de policiais e resgate, tal temática seria seguida pelas séries seguintes.
Em Winspector, o policial Ryuma Ogawa/Fire é auxiliado pelos robôs Highter e Biker, sendo a primeira vez que um Metal Hero têm parceiros de combate não humanos. Embora Ryuma ainda contasse com a ajuda de Junko Fujino e Hissae Koyama. Uma curiosidade adicional, Biker e Highter não podem correr, para se locomoverem em alta velocidade, Biker utiliza o pneu instalado em seu peito para “escorregar” (mais tarde, Biker ganha a moto Winchaser, que só pode funcionar quando ele conecta suas lanças/guidões na moto) e Highter utiliza um equipamento com asas em suas costas, tal equipamento pode ser utilizado como escudo.
Alguns artistas conhecidos dos tokufãs fizeram aparições em Winspector, como Takumi Tsutsui (um ladrão boxeador), Susumu Kurobe (Dr.Kuroda) e Tota Tarumi (Jin/Red Flash) como o cientista Yuuichi Hirosaki, que aparece nos episódios 31 e 32, o ápice da série (Hirosaki havia dominado o sistema do robô Brian, para que este matasse todos os motociclistas, já que sua filha havia morrido atropelada por um motociclista irresponsável. No episódio seguinte, Hirosaki invade os computadores da central de polícia e toma controle da base dos Winspector).


Grande destaque para Hiroshi Miyauchi (Chefe Shunsuke Masaki), por mais que o ator tenha aparecido pela primeira vez para o público brasileiro em Gyaban (como o policial espacial Allan), esse é o papel mais marcante desse veterano dos tokusatsus, tendo ele interpretado Akira Shinmei/Aoranger em Goranger, o protagonista Shiro Kazami/Kamen Rider V3, o protagonista Ken Hayakawa/Zubat, Sokichi Banba/Big One em JAKQ Dengekitai e Chefe Miura em Ohranger, entre outros.

Super Equipe de Resgate Solbrain (Tokkyu Shirei Solbrain) – 1991 - 53 episódios (Manchete)
Criada para substituir a equipe Winspector, a equipe chefiada pelo Chefe Masaki tem como integrantes Daiki Nishio (Solbraver), Reiko Higuchi (Soljeanne), o robô Soldozer e o policial Jun Masuda.
A equipe Solbrain passa por situações muito semelhantes às de Winspector, inclusive, os personagens de Winspector fazem uma breve aparição na série (Ryuma, que agora usa uma nova armadura chamada Knight Fire, volta para entregar uma nova arma para Solbraver), porém, soube aproveitar um pouco melhor cada personagem, inclusive o robô Soldozer.
Uma curiosidade interessante sobre o ator Hidenori Iura/Jun Masuda: quando criança, ele fez parte do elenco de Goggle V, como o Computer Boy 1.
Outros destaques ficam por conta da participação de Junichi Haruta como Sasamoto e de uma peculiaridade em um episódio onde aparece um pôster do piloto Ayrton Senna.
Junto com Winspector e com Exceedraft (que infelizmente não passou no Brasil) faz parte da trilogia de Rescue Heroes. O ponto que fecha as séries como uma trilogia é o Chefe Masaki, que liderou Winspector e Solbrain e retorna nos episódios finais de Exceedraft.



Ultraman Tiga – 1996 - 52 episódios (Record e Rede 21)
Ao fundir-se com o oficial da GUTS Daigo Madoka, Ultraman Tiga, o Guerreiro da Luz, volta à vida nos tempos modernos para lutar contra monstros e alienígenas malignos.
Além das já citadas participações de parte do elenco de Cybercops, Tiga contou com a presença da atriz Takami Yoshimoto, como Rena Ayanase, ela é filha do ator Susumu Kurobe (Hayata).


Ryukendo – 2006 - 52 episódios (Rede TV)
Kenji Narukami é um jovem que se muda para a pacífica Akebono e é confundido com um demônio logo em sua chegada. Ao mesmo tempo, um exército de soldados monstros começam a atacar Akebono e Kenji se vê diante de um confronto entre a polícia local e os invasores. Após salvar o cachorrinho e enfrentar um monstro aranha gigante, Kenji é derrubado e escolhido pela GekiRyuuKen, uma espada mágica com grandes poderes. Ao ativá-la, Kenji acaba se tornando o guerreiro Ryukendo, cujo destino é combater Jamanga.
Adquirida junto à um pacote de animes (que incluía Pokémon, Viewtiful Joe e Yu-Gi-Oh!) pela Rede TV!, Ryukendo poderia ter sido uma boa tentativa de ressurgir os tokusatsu na TV brasileira, porém o tratamento pífio dado pela emissora ao mesmo (em alguns estados como o Rio Grande do Sul, Ryukendo foi exibido apenas uma única vez em um Sábado), somado á baixíssima venda do primeiro Box da série e uma campanha de boicote orquestrada por alguns tokufãs no Orkut (tais tokufãs queriam o retorno dos tokusatsu à TV aberta, porém, apenas se fossem os já conhecidos Jaspion e Cia.), acabaram deixando por terra tal “tentativa”.

Menção Honrosa: Godzilla e demais monstros dos filmes japoneses
Nem só de séries vive o tokusatsu, também temos filmes! Godzilla é o representante mais icônico do gênero Kaijuu Eiga (filmes de monstros), ao lado de outras criaturas como Mothra e Gamera. Claro que houveram filmes que não tinham a presença de monstros gigantes, mas ainda assim eram tokusatsus. Mas deixei Godzilla como (literalmente) grande representante do cinema de efeitos especiais japonês.
Encerra-se aqui então o que pode se considerar como um pequeno guia de tokusatsus exibidos no Brasil. Espero também que tenha ficado claro que a febre toku teve um gás na época da Manchete, porém, os tokus começaram a serem exibidos muito antes. É preciso que todos tenham em mente que a época da Manchete foi algo legal, porém há vida antes e pós Manchete (e como há). Foram 35 tokusatsus ao todo exibidos no Brasil, desses 35, 17 foram na Manchete, não dá pra gente ficar preso apenas a esses 17 sendo que há tantos tokusatsus sendo disponibilizados pela tokunet afora, não é mesmo?
Gostou da matéria? Gostaria de sugerir algum tema? Vá ali abaixo e deixe seu plá nos comentários!

- Kleber “Nazca”

- Copyright © Rampage Subs - Rampage Subs - Powered by Blogger - -