Archive for Julho 2015

Qual o REAL significado da expressão "VIÚVA DA MANCHETE"?

By : RodrigoPatoDonald
Eu sou uma "viúva"? Você é uma "viúva"? Ele é uma "viúva"?? Vejamos!!




Por que eu resolvi escrever essa matéria assim, do nada? Bem... está MAIS do que na hora de jogarmos limpo e resolvemos essas intrigas. Muitas BRIGAS entre aqueles que se dizem fãs de tokus começam pelo simples fato de outros usarem a expressão "VIÚVA". Em que ela implica? Vejamos...

Certo dicionário popular define a expressão "viúva" dessa maneira: "Mulher que era casada e teve o casamento interrompido por falecimento do cônjuge. Aquela que vive a chorar pelo cônjuge falecido e que não quis casar de novo". 

De onde surgiu a expressão "VIÚVA" na toku-net? O que ela significa? Vejamos..


A expressão "VIÚVA" surgiu em meados de 2007, no Orkut. O foco das comunidades de tokus do Orkut na época eram os seriados japoneses exibidos pela saudosa Manchete de 87 a 93 e o desejo fervoroso dos fãs de quererem que a mesma retornasse exibindo os mesmos seriados e animes (shonen) que eram exibidos pela mesma. O povo só foi descobrir (em grande massa) que existia tokus "pré e pós Manchete" praticamente em 2009, quando a Rede TV estreou Ryukendo. Daí, surgiu o interesse pela grande MAIORIA por tokus fora do que foi exibido pela época áurea da finada emissora.



A expressão "VIÚVA" ganhou mais força mesmo graças a Ryukendo. Um membro de uma comunidade do Orkut sobre tokus MUITO popular (que, na época do Orkut, era a MAIOR sobre tokus) na época criou uma espécie de boicote para a Ryukendo, tentando mexer com a comoção popular, ao usar slogans parecidos como esse de, "quem é toku-fã de VERDADE NÃO vai trair a memória da Rede Manchete e NÃO vai assistir Ryukendo". Ele TENTOU criar um abaixo assinado para mandar para a Rede TV, pedindo para que a mesma retirasse Ryukendo do ar e exibisse Changeman e Cia no lugar, em memória da Rede Manchete. Aí, um outro membro mandou esse protestante "parar de chorar pela Manchete como uma viúva, pois ela não iria voltar". A partir daí, a expressão "Viúva da Manchete" foi usada de forma pejorativa por outros membros que aceitavam tokus que não foram exibidos na fase áurea dos tokus dos anos 90 para aqueles que não queriam se alargar no conhecimento dos tokus, querendo ficar preso somente àqueles tokus exibidos de 87 a 93 (não só os da Manchete, mas os da Band, SBT e Globo também). 


Hoje em dia, a expressão "viúva da Manchete" ganhou inúmeros adjacentes, devido a popularização do termo pela Toku-net. Hoje, podemos encontrar (também de forma pejorativa), expressões  do tipo "viúva de Black", "viúva de Jaspion", "viúva de Cavaleiros do Zodíaco" e etc. Eu, esse Pato chato que vos fala, admito que usei MUITO as variantes desse termo por comunidades do Orkut, Grupos de Facebook, Fóruns e Páginas sobre tokus na net e, em minha VASTA maioria, de forma pejorativa. Admito que pegava pesado e que gostava de provocar e que fazia isso com o propósito de incentivar as pessoas a gostar na marra de tokus pré e pós 87-93. Só que, vai fazer uns meses que não participo mais de grupos de tokus e variantes à Manchete e eu uso a expressão "viúva" de cunho pessoal. Lógico que eu converso com pessoas que usam a expressão "viúva da Manchete" de forma pejorativa. Desses, eu apenas rio comigo mesmo. Eu converso numa boa, como se a expressão "viúva" NÃO estivesse ali. Assim, eu converso com MUITA gente que tem dificuldade de aceitar tokus atuais e preferem ficar presos ao que foi exibido aqui de 87-93. 

O que eu percebi nesses meses (ainda NÃO fez um ano) é que tenho encontrado muita paz por não usar a expressão "viúva". As vezes, quando vejo no MEU status PESSOAL do Face algo relacionado a expressão "viúva", me escapa um. Afinal, não sou perfeito. Mas, na MAIORIA das vezes, tento controlar meus ânimos e evito ao MÁXIMO usar essa expressão "viúva". 



Na minha andança pela Toku-net, aprendi a lidar com MUITO tipo de gente. Alguns não se importam com a expressão "viúva". Outros até se divertem. Outros relevam. Outros se sentem ofendidos. Outros reclamam. Enfim, as pessoas reagem de muitos tipos. Agora que eu escrevo para um blog de alcance internacional e para uma revista de circulação nacional, eu devo TENTAR policiar as minhas palavras. E incentivo aos outros membros da equipe do Rampage a agirem da mesma forma. E incentivo aos leitores das minhas matérias a fazerem o mesmo. Se aqueles que possuem certa facilidade em assimilar os tokus pré e pós 87-93 exibidos aqui no Brasil costumam usar a expressão "viúva" de forma agressiva contra colegas da Toku-net, procurem usar para si esse termo. É melhor do que criar contendas desnecessárias. Eu já errei MUITO por usar a expressão de forma desordenada. NUNCA fui um santo nessa toku-net. Mas, estou aprendendo a me redimir.
Não é fácil ter autodomínio  nessa toku-net. Principalmente por causa de muitos toku-fãs que costumam bancar os "videntes" dizendo que TODA uma série é ruim por causa de UM episódio ou até mesmo por causa de UMA foto. Já vi nessa toku-net um cara que disse que assistiu SÓ ao primeiro episódio de Liveman, achou ruim e "pôde constatar que só o que foi exibido na Manchete é o que presta de toda a franquia dos sentais". Agora, já testemunhei comentários de gente que disse que o novo Kamen Rider (o Kamen Rider Ghost), "NUNCA chegará aos pés de Kamen Rider Black".


É normal nós sermos apegados a situações da nossa infância. Para quem me conhece pela Toku-net, sabem que eu sou MUITO fã da apresentadora Angélica, no qual nutro uma grande admiração desde os primórdios dela na Manchete. Tenho TODOS os discos dela em LP, CD e K7 originais de época (tá, podem me zoar. Eu deixo... XDDD).... Mas, NÃO assisto os programas dela da atualidade. Não ouço as músicas dela da fase Globo dela. Costumo escutar as músicas dela da época da Manchete e SBT, que foram as fases dela que me marcou (sim... sou uma "viúva da Angélica da Manchete"). Eu, particularmente, dos discos dela lançados na Globo, reconheço que tem MUITA coisa boa (acreditem!! Angélica cantou MAIS músicas para o público adolescente e adulto do que com público infantil!!). Mas, não tiro os méritos dos discos dela na fase Globo, mesmo não gostando de alguns álbuns e nenhum tendo me marcado. Afinal, ANTES de falar que os discos dela na fase Globo SÃO inferiores aos da fase Manchete-SBT da Angélica, eu precisei CONHECER o que a fase tinha para oferecer de MELHOR (e PIOR) para os fãs.

Com o meu exemplo, o conselho que eu dou para os fãs de tokus exibidos aqui de 87-93 é: TENTEM CONHECER OS TOKUS ANTES DE FALAREM BEM OU MAL!! Do mesmo modo que MUITOS fãs dessa época se sentem ofendidos quando fazem comentários maldosos a respeito deles e de seus gostos, vocês precisam se dar ao respeito com relação aos seus colegas de toku-net que conhecem os tokus inteiros. Uma série de tokusatsu japonesa possui em média de 25 a 55 episódios (isso sem contar os filmes de Ninja Heroes e Kaijuu Eiga). Com 1 ou 10 episódios NÃO se dá para ter uma base para falar de TODA uma série com 50 episódios. Muitas séries começam a melhorar mesmo depois do trigésimo episódio. Peguem o tão aclamado Kamen Rider Black como exemplo. Convenhamos: Black é MUITO bom! Mas, o roteiro só começa a ganhar consistência mesmo a partir do episódio em que o Shadow Moon mata o Burengia (Taurus). Antes de Taurus, Black consistia em salvar crianças ou adolescentes usando micro-shorts e jaquetas num calor insuportável do monstro do dia. E foram MAIS de 20 episódios da mesma coisa. Mas, mesmo assim, é uma série boa e aclamada por MUITOS. Por quê? Porque o povo aguentou os episódios inciais e reconheceram a supremacia de Black para a época. Mas, que base o povo possui para comparar Black com Ghost, sendo que Ghost NEM estreou? Só o visual? Pode até ser que Black possa ser superior a Ghost em visual (isso vai do gosto de cada um). Mas, POR ENQUANTO, NÃO sabemos COMO é Kamen Rider Ghost. E, por causa disso (sim, já vi em alguns grupos de tokus no Facebook que eu stalkeio) já vi gente chamando esses "videntes" de "viúvas".



O conselho que lhes dou é: se NÃO querem que lhes chamem de "viúvas", visto que NEM todos conseguem segurar a língua, ajam com bom senso. Não se deixem dominar por sentimentos e situações nostálgicas que atrapalham o senso crítico e a responsabilidade de opinar. Conheço MUITA gente que falou MAL de Kamen Rider Gaim no passado e que se arrependeram a medida que assistiam a série. Alguns mais racionais chegaram até mesmo a admitir que Gaim é MELHOR que Black (segundo o ponto de vista deles, não é a opinião desse Pato chato, visto que eu AINDA não vi Gaim completo). Outros mais racionais admitiram que queimaram a língua quando assistiram Gaim. Se quiserem comparar DUAS séries, pelo menos assistam as duas séries COMPLETAS para se terem uma base do que falar. Querer argumentar usando uma parte de uma com relação ao todo de outro é o mesmo que procurar uma gota de suco na Baía de Guanabara. Isso só vai aumentar as contendas na toku-net. E vocês sabem que essas contendas são desnecessárias. E outro conselho: NÃO caiam na lábia de alguns que ficam espalhando boatos por aí que a Manchete vai voltar. Vocês sabem que a mesma NÃO vai voltar. E, SE supostamente voltar, ela NÃO vai exibir tokus e animes shonens como era nos anos 90. Com certeza ela vai voltar com realities shows e programas de fofoca. Então, não adianta ficarem "chorando por seu cônjuge, pois sabem que não vai voltar". Caiam na realidade e viam o que o mundo toku tem para oferecer. Afinal, o tokusatsu japonês possui 60 anos de história. Assim, vocês próprios estarão ajudando a abolir a expressão "viúvas da Manchete". Fazendo isso, a expressão "viúva da Manchete" não poderá mais aplicar a você e, aos poucos, a expressão pode até morrer. Tudo depende vocês.

E aos que gostam de usar a expressão "viúva da Manchete" para o seu colega de toku-net, ao invés de simplesmente ofender, por que não procurem chamar os novos colegas para conhecer o que é bom? Ao chamá-lo de "viúva", ao invés de chamá-lo para a importância do que o mundo toku tem a oferecer, você só estará fazendo com que ele fique preso ao exibido aqui de 87 a 93. Se o colega NÃO quer conhecer um Turboranger ou um Kamen Rider Blade, por exemplo, NÃO o force. Aos poucos, ele vai descobrindo o que os tokus têm a oferecer. TENTEM resistir a tentação de procurar brigas. É difícil? É! MUITO DIFÍCIL! Até eu tenho minhas dificuldades de resistir quando vejo uma opinião leviana com relação à opiniões de pessoas que NÃO conhecem um determinado toku mais a fundo. É difícil, mas, NÃO é impossível. Basta saber agir com tato e autodomínio. Afinal, o que aprendemos com nossos amados tokusatsus japoneses? Ah, deixe-me lhes falar: que somos UNIDOS, apesar das MUITAS diferenças entre os membros! :D 



Himitsu Sentai Goranger: Episódio 52!

By : Clock Up
Olá, galera.
Espero que a demora não tenha matado alguns de vocês de ansiedade...

E não é que são mesmo?!

Ok, admito que depois de uma sequência bem interessante, este episódio 52 pode até parecer um pouco sem sal, mas acredito que ele renda pelo menos alguns bons momentos cômicos.
Nos vemos no próximo episódio, que por sinal, será um dos mais icônicos da série!

Cheers!

PÁGINA DE DOWNLOAD

Geração Manchete – Vocês REALMENTE querem o retorno da emissora?

By : RodrigoPatoDonald
"Aconteceu, virou Manchete!"



Hoje vou falar de um assunto pertinente e que tenho observado por MUITOS grupos e pages do Facebook e blogs a fora: o suposto “retorno” da emissora Manchete que os que se dizem fãs da mesma querem. Mas, frequentado grupos, páginas, blogs e afins relacionados à finada emissora, eu pergunto: SERÁ QUE OS “FÃS” DA EMISSORA SÃO “FÃS” DA EMISSORA?? SERÁ QUE ELES REALMENTE QUEREM O RETORNO DA MESMA??

Vamos analisar o seguinte. O que vemos nessas mídias virtuais relacionadas à finada emissora? Será que, aqueles que se dizem “fãs da Manchete” sabem da real importância da mesma? Vejamos alguns itens.

Vocês sabiam que a Manchete foi pioneira na exibição completa do Carnaval de rua e dos desfiles dos Grêmios Recreativos Escolas de Samba do grupo especial e adjacentes do Rio de Janeiro e, cujas imagens de desfiles, eram as mais cobiçadas? Poizé, né? Para se ter uma ideia, segundo o livro “Aconteceu, Virou Manchete”, de Elmo Franckfort, as emissoras concorrentes que queriam imagens do Carnaval, dependiam exclusivamente da Manchete para ter imagens dos desfiles, nos anos 80. Quando a emissora começou a entrar em crises, a Globo toma a concessão dos direitos de imagens e a Manchete fica restrita somente a Carnaval de rua e de grupos fora do desfile do grupo especial.



Vocês sabiam que a Manchete foi a primeira e ÚNICA emissora a quebrar a hegemonia da Rede Globo em teledramaturgia brasileira? Sim! A novela Pantanal foi um marco da nossa teledramaturgia. Ela dava em média 44 pontos no ibope, o que é MUITO para o horário em que foi exibida pela primeira vez (21:40, visto que as novelas da noite na Globo, na época, começavam as 20:30 e duravam uma hora). O feito foi tão bem sucedido que Pantanal se tornou a novela do ano de 1990, considerada a segunda mais vendida pro exterior da história do nosso país (perdendo apenas para Escrava Isaura) e ainda consagra bons nomes da nossa teledramaturgia, como Claudio Marzo, Cristiana Oliveira, Carolina Ferraz, Ingra Liberato, Marcos Palmeiras e Jussara Freire. No ano 2000, no Especial 50 Anos da TV Brasileira – Novelas, a Globo reconheceu a novela como a mais bem sucedida da nossa teledramaturgia, até o presente ano.



Grandes nomes do nosso esporte foram descobertos pela Manchete. Visto que as emissoras se preocupavam mais com o futebol e a Fórmula 1, a Manchete, a partir dos anos 90, embarcou em novas áreas esportivas. Foi a primeira emissora de canal aberto a exibir um torneio de tênis de ordem internacional (no caso, o Roland Garros) e jogou para a nação, o tenista Gustavo Kuerten, que teve sua popularidade aumentada graças a transmissão exibida pela Manchete. Em tempo, outra área esportiva apresentada pela emissora FORA da época das Olimpíadas foi a ginástica olímpica. Nesse tempo, fomos apresentados ao talento dos jovens (na época) Danielle Hypólito e seu irmão, Diego Hypólito, que foram descobertos no final dos anos 90 e tiveram seu auge no decorrer dos anos 2000.



A programação infantil também foi forte presença na emissora. Grandes nomes da nossa apresentação infantil surgiram na Manchete. Xuxa surgiu em 1983 no Clube da Criança. Seu sucesso foi tão grande que a Globo pagou (MUITO) para ter seu passe dentro da grade da programação. Xuxa (e, consequentemente, a Manchete) foi a pioneira em criar um formato de programas infantis com uma apresentadora no meio de uma plateia com crianças e brincadeiras, além de apresentar desenhos. Anos mais tardes, outro nome feminino poderoso do entretenimento infantil surgiu na emissora: Angélica. A popularidade de Angélica entre o público infantil foi tão grande e repentina que a emissora deu mais um programa para ela: o juvenil Milk Shake. Angélica teve seu passe disputado por três emissoras e ainda por cima foi a rainha da casa. Passou pelo SBT e hoje é um nome forte na Globo.



Esses foram SÓ alguns exemplos de grandes sucessos que a finada emissora nos deu. Mas ela está cheio de exemplos maravilhosos que fizeram história e que deixaram a sua marca no tempo. Vamos encontrar bons exemplos de programas de variedades apresentados de forma imparcial e interativa, revistas eletrônicas, séries e animações americanas de qualidade, show e filmes de destaques para a época, minisséries com externas esplendorosas, cuja audiência incomodou a concorrência. Enfim, uma variedade de assuntos que fizeram com que a Manchete alcançasse o patamar de emissora de televisão de qualidade e de sucesso.


Mas, do que REALMENTE os “fãs” da emissora lembram-se da mesma? Será que foi o sucesso estrondoso de Pantanal e por ter quebrado as pernas da Globo? Dos telejornais que batiam de frente com as outras emissoras? De entrevistas poderosas como a do comunista Fidel Castro, que escolheu a emissora para uma entrevista aberta para uma emissora de TV? De ter na novela A História de Ana Raio e Zé Trovão, a pioneira como novela itinerante, sendo a primeira novela a ser filmada em TODAS as regiões do país? Dos grandes nomes da apresentação jornalística que surgiram na mesma e que deportaram para outras emissoras? De uma minissérie que teve o primeiro beijo gay? Da ÚNICA emissora a levar Silvio Santos a participar de uma novela? A resposta é óbvia: NÃO!



Os “fãs” da emissora lembram-se da mesma como aquela que exibia SÓ tokusatsus e animes japoneses. Sim, meus caros! Os que se dizem “fãs” da mesma não reconhecem a importância da emissora em si. Eles não se lembram da emissora em si. Eles só se lembram dos desenhos e seriados japoneses que eram exibidos dentro dos programas infantis, como Clube da Criança com Angélica, Cometa Alegria, Sessão Super Heróis e Dudalegria. Páginas na internet sempre fazem referências da emissora, mas, sempre ligando a mesma as produções japonesas. Homenagens à emissora é sempre recheada de fotos e imagens de tokus e animes (shonen). Não se vê homenagens à emissora com uma produção local, tipo, minisséries, novelas, telejornais e entre outros programas da casa. Nas homenagens que fazem a emissora, vamos encontrar personagens de Jaspion, Jiraya, Changeman, Cavaleiros do Zodíaco, Yu Yu Hakushô, Shurato e etc.



Por causa dessas séries, muitos pedem o retorno da emissora. Já acompanhei alguns fóruns e discussões, apresentei prints para jornalistas e psicólogos e faço a seguinte pergunta que fiz no início: será que eles querem o retorno da emissora? Segundo as pessoas que entrevistei, eles não querem o retorno de novelas que batiam a Rede Globo. Eles não querem o retorno de programas infantis de qualidade. Não querem programas esportivos e coberturas de carnavais. Não querem um telejornal ousado e interativo. Eles querem a Manchete para exibir SÓ tokusatsus e animes japoneses. E o mais incrível disso tudo. O povo NÃO quer tokusatsus e animes novos, eles querem os “clássicos”. Leia-se como clássicos, aqueles tokus e animes exibidos nos tempos áureos da finada emissora.

É errado querer exaltar a memória afetiva da nossa infância? Claro que não! É mais do que prazeroso! O intuito desse post NÃO é ofender ninguém e obrigar NINGUÉM a “vamos engolir tokus e animes novos na marra”. O objetivo desse post é esclarecer uma coisa: para aqueles que se dizem “fãs da Manchete”, na verdade, NÃO são fãs da emissora de verdade. São fãs dos seriados e animes japoneses exibidos na grade da programação. É errado ser fã dessas coisas? CLARO QUE NÃO! Afinal, é gostoso ter essa sensação de nostalgia que o passado nos apresenta. E tem gente que usa dessa nostalgia para abusar da boa vontade daqueles que se dizem fãs. Tem se espalhado por aí, boatos do retorno da emissora com a mesma programação dos anos 90. Ou seja, o povo acredita no boato que a “Manchete vai ressuscitar e trazer os animes e tokus ‘clássicos’ de volta”. Caso, supostamente falando, o nome Manchete volte numa emissora de TV, vocês acham que teriam espaço para tokus e animes clássicos de volta? Se a Manchete “ressuscitar”, ela teria que ser, no caso, uma emissora que tinha que se adaptar aos tempos modernos, se quisesse continuar mantendo nomes fortes de patrocínios e da nova geração de telespectadores. As concessões de animes e tokus clássicos que o povo tanto quer “pertenciam” a Manchete, está nas mãos de outras emissoras e canais. Vocês acham que, SE a Manchete voltar, vai ter cacife para pagar por essas concessões?

O objetivo PRINCIPAL dessa matéria, como lhes falei acima, é abrir os olhos dos leitores, para mostrar que eles não são fãs da emissora, mas, das produções japonesas exibidas na mesma. Estas mesmas produções que estão ao nosso alcance através de DVDs e de outras opções pela internet. É claro que, assistir um Jaspion e um Cavaleiros do Zodíaco na emissora que nos proporcionou grandes momentos de alegrias na nossa juventude, nos daria um sabor agradável ao nosso paladar nostálgico. E sei que, como eu, muitos sonham com o retorno da emissora. Mas, para esse suposto retorno ser triunfal, devemos reconhecer que a Manchete foi MUITO mais que tokus e animes. Ela teve produções próprias, sem depender de “enlatados japoneses” que foram suas principais marcas e que são importantes para a história da nossa TV. Produções essas que foram premiadas e aclamadas. Essas produções sim, que deviam ser exaltadas por aqueles que se dizem fãs da emissora. Afinal, essas foram produções nacionais, que tiveram muitas despesas e que ajudaram a emissora a continuar com as exibições dos seus amados tokus e animes.


Não custa nada continuar usando os espaços que a internet nos proporciona para falarmos de tokus e animes que nos marcaram. Mas, sejamos criteriosos sobre de como usamos o nome MANCHETE. Procurem alargar seus conhecimentos. Tentem conhecer a trajetória de programas, novelas, minisséries e artistas que nasceram na emissora. Lembre-se: a Manchete foi MUITO mais que animes e tokus. Ela se destacou merecidamente por produções próprias. Vocês vão tirar muito proveito se fizerem isso e verão de verdade, o que a Manchete tem a oferecer. Algumas dessas coisas podem ser encontradas em DVDs e vídeos espalhados na internet. Então, alarguem-se. Afinal, aconteceu, virou Manchete! :D


JAKQ Dengekitai - Episódio 03

By : Charles William Krüger
Olá, pessoal.

Voltamos trazendo mais um episódio inédito de JAKQ. Viram só? Pode demorar, mas os lançamentos vão saindo.

Confiem em nós.


Podia ser pior. Podíamos estar com outras séries atrasadas também...

 O episódio de hoje é bem interessante. Ele traz aquele clima sério ultra-violento que fez com que os pais da década de 70 quase processassem a Toei. Além disso, ele também conta com coreografias incríveis e participação do Kenji Ohba. Resumindo: tudo de bom este episódio 3!

  Aguardem para breve as voltas de Janperson e Goranger. 

Warera Supaa Sentai

A Vinda de Kurata Tetsuo ao Brasil: Fomos no Anime Friends vê-lo!!

By : RodrigoPatoDonald
                                       O Retorno daquele que marcou a infância de muitos.



Nesse fim de semana, os toku-fãs paulistanos foram presenteados com a ilustre visita do ator que deu vida ao Kamen Rider mais querido (pelos brasileiros): Kamen Rider Black, o Kurata Tetsuo. E é claro que nós, do Rampage, fomos lá dar o nosso plá para nos divertirmos e conhecer aquele que foi o primeiro que fez com que os brasileiros se apaixonassem pela franquia (bem... alguns se apaixonaram pela franquia.....) e por outras séries vindas do Japão. Preparados? OK... Vamos lá!

Pelo que eu conversei com alguns staffs da Yamato, Kurata desembarcou em São Paulo às 11 da manhã e foi direto ao evento. Ele descansou pouco. Não podemos negar que foi uma atitude nobre da parte dele. Ir do aeroporto direto para o evento (só parou no hotel SÓ para deixar as bagagens e depois seguiu para o evento). Ele ficou num camarim exclusivo para descansar até a hora da sua palestra. 

                            

A palestra começou as 15:30. Ela durou 35 minutos cravados. Primeiro fomos apresentados ao famoso Ricardo Cruz, que foi o entrevistador. Kurata entrou todo sorridente e levou o povo ao delírio, enquanto o povo gritava "KURATA, KURATA, KURATA!!"... Percebíamos que o Kurata não estava acostumado com a recepção calorosa por parte do público. Não sabemos se ele tinha a mesma recepção no Japão ou em outros países que consomem tokus. Mas, depois de uns 5 minutos no palco, vimos que ele ficou mais a vontade. 

                    

A entrevista foi confortável e descontraída. Ele esclareceu algumas coisas e desmentiu outras. Por exemplo, ele contou como foi o processo de escolha para ser o Kamen Rider Black. Ele foi escolhido diretamente pelo Ishinomori, que viu nele algo que se destacava. Ele contou que sempre assistia  Kamen Riders quando era criança e sempre imaginou que seria um. Um dia, na faculdade, ele viu que a Toei estava fazendo uma enquete "quer ser um herói??" e ele se candidatou e foi fazer o teste, mesmo não sabendo nada de atuação. Depois de algum tempo, seu Ishinomori acreditou nele e ele foi chamado para ser o Kamen Rider Black, Ele largou a faculdade e iniciou a carreira de ator a partir daí.

Uma das coisas que eu gostei da palestra foi quando ele desmentiu alguns boatos brasileiros dos tempos de Orkut. Se lembram que, quando foi anunciado que ele voltaria em Kamen Rider Decade 20 anos depois?? Poizé, né?? Os fãs brasileiros (na época), ficaram em alvoroça, dizendo pela toku-net "que ele foi o rider mais lembrado e querido do Japão e que é o ÚNICO rider que a Toei valorizava e que chamou de imediato para ressuscitar o personagem". Poizé... ele mandou a real. Ele disse que PEDIU para a viúva de Ishinomori que intercedesse entre ele e a Toei para participar em Decade. A conversa dele com ela foi ouvida por um representante da imprensa que lançou a notícia na mídia antes do convite oficial e a Toei se viu obrigada a fazer um convite oficial para que ele aparecesse em Decade, mesmo a contra gosto da Toei, visto que ela não tinha planejado uma participação de Kamen Rider Black em Decade.


Outro momento legal da palestra foi quando ele disse que Kamen Rider Black fugiu da expectativa de ser Kamen Rider. O "Sol Negro" mostrou algo sombrio para a franquia. Nada de cores em excesso. Ele esclareceu que foi uma tentativa da Toei mudar um pouco a franquia. Mas, que não foi bem recebida após o término da mesma. Black RX voltou a ser como o resto da franquia, o "Sol Claro", ou "o Filho do Sol" (mas esse nega a paternidade... XD), o que deixou o visual da série mais clean. Mais limpo. Mais alegre. Por isso que o Black RX foi uma das mais lembradas pelos japoneses.

Um dos momentos mais emocionantes foi quando os cosplayers Wagner Alves Maciel, Ney Birol e Marcelo Robocop entraram no palco com os cosplays dos personagens, mais ainda a presença de um Black mini, que mostrou que Black cativa até os mais jovens. Os olhos de Kurata brilharam de emoção quando ele viu os cosplays. Ele se mostrou modesto e feliz e cumprimentou a todos e ainda fez pose com os personagens. 


Mas, o momento MAIS emocionante, que levou a mim e aos fãs presentes ao delírio foi quando ele, na forma dos seus 46 anos, fez os movimentos do Henshin. A galera fez coro e pediu para que ele fizesse. E ele fez. Todos os movimentos sincronizados, com a mesma perfeição incrível  de quase 30 anos atrás. Enfim, testemunhei algumas pessoas que choraram quando viram esse movimento do "henshin" sendo revelados ao vivo. 



Um dos momentos frustrantes do evento foi o meet and greet com o Kurata. Posso parecer injusto ao fazer esse tipo de comparação, mas, ao contrário de Takumi Tsutsui e Hiroshi Watari, que foram BEM "povão", que se misturavam com os fãs, brincavam e interagiam com a gente, fazendo poses e trocando experiências com a gente. Já com Kurata, foi algo frustante no sentido de que, segundo os staffs da Yamato, ele fez uma série de exigências, como, ele não iria se levantar da cadeira, não podia abraçá-lo ou beijá-lo, os fãs deviam se contentar com um aperto de mão e os presentes que os fãs levavam tinha que ser entregue diretamente para uma assistente, e não diretamente com ele. MUITA gente (eu disse, MUITA, mas MUITA mesmo), se sentiu frustrado com esse tipo de conduta da parte dele. Ele não foi mal-educado ou grosseiro. Ele foi sorridente e educado até. Mas, foi seco. Uma simpatia forçada. Claro que, aqueles que se dizem fã de verdade, não levaram em conta o jeito seco dele. Acredito que muitos fãs mais fervorosos talvez digam que eu esteja exagerando e que seja "recalque" da minha parte. Mas, devemos ser francos para com nós mesmos. Eu gostei da visita dele. Gostei e MUITO das palestras. Gostei de ter apertado a mão dele e ter tirado uma foto com ele. Mas, gostaria que ele fosse mais atencioso com os fãs. E não algo mecânico. Afinal, ele precisa retribuir o que muita gente acha dele: que os personagens dele são um dos mais queridos. Sabemos que cada caso é um caso. Ele poderia estar cansado por causa da viagem e tal. Mas, um pouquinho de esforço para bancar o simpático não iria fazer mal a ninguém. Senão, não teria um MONTE de gente reclamando desse tipo de conduta dele. 

Enfim, essa foi uma análise sincera e modesta sobre a vinda do grande Tetsuo Kurata ao Brasil. Vamos torcer que ele seja mais simpático da próxima vez que vier (ou, SE vier) ao país. Foi uma visita gostosa e foram momentos prazerosos. Em breve, eu trago o Downloado da palestra pra vocês. Grato para quem leu! HENSHIN!

*(créditos das fotos: DJ Eternal Leandro Rabello)

Avisos importantes! Leiam!

By : Charles William Krüger
Aqui é o Fanboy! Sobre os atrasos:

Sim, está tudo bem atrasado. Não, não vamos apressar nada por causa disso. Sim, mais cedo ou mais tarde as coisas voltarão ao ritmo normal. Não, não sei exatamente quando.

Goranger, JAKQ e Janperson voltarão nos próximos dias. Tenham paciência.






OUTRA COISA, AINDA MAIS SÉRIA

O amigo Goggle Red, que capitaneava o projeto Sukeban Deka, não faz mais parte do Rampage Subs. No entanto, por respeito às mais de 300 pessoas que costumam baixar os episódios, daremos sequência ao projeto. 
No entanto, por motivos óbvios, as RAWs que tínhamos do projeto (obtidas pelo Goggle Red) não serão mais usadas. Precisaremos de RAWs novas. 

Por isso, se alguém souber onde obter RAWs de boa qualidade de Sukeban Deka, avise-nos imediatamente.

Por fim, sei que isso é ridiculamente óbvio, mas vamos lá:

O projeto está paralisado até termos essas RAWs.

É isso.

P.S.: Perguntas do tipo "Quando teremos novos episódios?" serão respondidas educadamente se forem feitas educadamente. Perguntas feitas em tom de cobrança serão respondidas de forma um tanto quanto rude...
Tag : , ,

Sukeban Deka II (1986) - Episódio 12

By : Clock Up
Saudações, pessoal que nos acompanha!
Vocês devem estar achando um pouco estranho eu estar apresentando este episódio no lugar do nosso camarada Goggle Red, mas não se preocupem, ele voltará em breve com seus posts cheios de informações interessantes sobre a série, e sobre o universo das Idol singers do J-pop.

Hell yeah! Não se metam com a Garota da Máscara de Ferro!

O motivo para eu estar escrevendo esse post, é porque esse foi o meu episódio favorito na série até o momento! Sério mesmo! A carga emocional que recebemos ao assisti-lo é intensa.

Apesar de começar com uma situação inusitada, com a Okio sendo obrigada a servir de babá para uma criança, o ar cômico logo dá lugar para um dos momentos de maior tensão já vistos na série. Outra coisa que me chamou a atenção, é que neste episódio, podemos conferir um lado bem "dark" da Saki, que ela revela quando seus amigos são ameaçados. 
Bom, vou me segurar aqui para não dar spoilers. Espero que se divirtam!

Cheers!

- Copyright © Rampage Subs - Rampage Subs - Powered by Blogger - -